Monthly Archives

dezembro 2012

Textos

Promessas de Ano Novo

Para 2013, não vou prometer começar regime e emagrecer 3kg.

Não vou prometer não guardar rancor ou mágoa de ninguém.

Não vou prometer que irei viajar,

conhecer novos lugares,

Ler mais,

Fazer atividade física,

Nem ter uma alimentação mais saudável.

Prefiro de abster de promessas e simplesmente viver um dia após o outro.

O que vier, será lucro.

Em 2012, quebrei tantas promessas que fiz no ano anterior.

Algumas insignificantes, como não perder nenhum filme que eu quisesse assistir no cinema.

Outras, grandes e cheias de sonhos.

O ano que passou mudou minha vida.

Ainda a definir se para melhor ou pior.

Acho importante não continuarmos os mesmos.

A vida é inconstante e precisamos acompanha-la.

Filosofia de certo modo darwinista.

Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças” (Charles Darwin).

Talvez seja esse o caminho.

Quero descobrir novas paisagens, novas pessoas, novas culturas que essa estrada vai me mostrar.

Quero o desconhecido.

Vai dar medo e insegurança,

Mas tudo pelo que passei me deu forças para enfrentar o que for.

Porque tudo e todos (sem exceção) que passaram pela minha vida me ensinaram muito.

Agradeço.

E assim quero começar o novo ano: sendo grata e seguindo em frente.

Instagram

No Instagram da Cerejeira – Semana 16

“Once upon a time, we burned bright”

1. Vida de míope quando chove. – Aí você tenta secar o óculos na blusa, que está tão molhada quanto, e tudo fica pior. Se vira nos 30.

2. Oi, fim do mundo.  – Véspera de “Fim de Mundo”, eu voltando pra casa de uma matéria e céu desse jeito. Tentei fotografar os raios que apareciam a cada 2 minutos, mas claro que não consegui. Eu quase (quaaaaaase) acreditei na profecia Maia nesse dia. Mas passou.

3. Tem gente pronta para o Natal.  – Tinha gente pronta para o Natal. Margot arrancou o próprio colar segundos depois de a foto ter sido tirada. Sem contar que já tomou banho de chuva. Já era a “menina linda e cheirosa” para a festa.

4. E assim vamos… – Chato, né?!

5. Mini Narciso Rodriguez. ♥ – Sou viciada em perfumes. E isso encaixa direitinho com o fato de morar na fronteira, onde Paraguai e Argentina vendem perfumes excelentes e muito mais baratos do que no Brasil. O Narciso Rodriguez é um deles. Se você ainda não conhece, procure conhecer porque é delicioso! Tem várias fragrâncias, desde mais suave até algo mais “sexy”, sabe? Só que eu acho que só vende na Monalise (Ciudad del Este). Se acharem em algum outro lugar, avisem! 

6. Bela! ♥ Amei, @alineaguayo. – Já fazia tempo que eu queria uma blusinha da Acessórios e Produtos Personalizados, mas não tinha certeza de que desenho escolher. Até que, na página do Facebook, eu vi um desenho da Branca de Neve e aí me veio a luz! Pedi uma Bela (de A Bela e a Fera) para mim, já que sou viciada no desenho (a ponto de tatuar a rosa encantada na perna). E esse foi o resultado! Achei linda e amei demais. Super recomendo!! A Aline faz a arte e mãe dela bota a mão na massa. Entre na Fanpage e veja mais trabalhos por lá.

Tem muito mais fotos no Instagram da Cerejeira. Siga-me!

Textos

Largue o Facebook e vá curtir um show

Texto que fiz hoje para o H2FOZ.

Projeto Fenda se apresentou ontem no Natal das Cataratas


“Ela estava sentada junto a sua família curtindo o bom som. Guitarra, bateria, baixo e teclado, nada mais do que isso. A impressão era que tinha uma orquestra completa em cima do palco, despejando virtuose para os ouvidos presentes.



Os pés eram embalados pelo ritmo da música. “Os meus olhos coloridos” (bate pé) “me fazem refletir” (bate pé), e assim por diante. O suingue era contagiante. Logo, o corpo todo, mesmo acomodado na cadeira, tentava uma dança desajeitada. Sinal de satisfação.


A primeira banda termina sua apresentação e se retira com aplausos do público. Pausa para a troca. Ela pega um crepe para a espera ficar mais agradável. Os novos músicos já estão se posicionando e acertando o som para logo mais.


O crepe termina em tempo. O show começa e ela se senta novamente, com os olhos encantados mediante a qualidade do que via e ouvia. Os ritmos brasileiros orquestrados davam vontade de sair dançando pela praça inteira.


As letras que a banda cantava eram sobre a cidade em que vive. Ela ia reconhecendo as situações e intimamente concordando com cada verso. “Isso é Foz do Iguaçu, recebe o estrangeiro, não há céu mais azul”. 


De repente, sem saber por que, ela resolve olhar ao redor e, então, vem a decepção: Assentos vazios demais para um show tão bom. Ela se sentiu lisonjeada por ser uma das sortudas a ouvir aquela brincadeira de notas que resultavam em música. 


Ao mesmo tempo, a pena e uma pontada de desapontamento com quem não apareceu. “Perderam um show e tanto! Sorte que não foi apresentação única. Isso vai dar outra chance a quem não veio”, pensou.”

Vamos encerrar por aqui a crônica. A história narrada é, infelizmente, verdadeira. Ontem a noite, 19, no Natal das Cataratas, fui conferir a programação que reunia grandes músicos de Foz do Iguaçu, mas o público era pequeno. E isso me entristeceu.

Só posso dizer que, quem não foi, perdeu. A programação na Praça do Mitre segue até domingo, 23, e eu recomendo e indico que você saia de casa para conferir o que rola por lá. Todas as apresentações tem sido de uma qualidade imperdível e não me conformo que você fique em casa no Facebook enquanto espetáculos estão acontecendo (gratuitamente, diga-se de passagem) no centro da cidade.

É uma oportunidade para você curtir o que tanto é pedido: cultura. Independentemente de qual estilo musical você goste ou a que tribo pertença, vale a pena. Você vai se surpreender, eu garanto.

Conheça mais do Projeto Fenda aqui.

Textos

Sétima-feira

Todos já sabem a ordem dos dias da semana: Domingo,
Segunda-feira, Terça-feira, Quarta-feira, Quinta-feira, Sexta-feira e
Sábado.


Isso não é novidade para ninguém. Mas o que é segredo e que poucos
sabem é que, assim como existem números fracionários entre um e dois na
Matemática, também existe algo entre a Sexta e o Sábado: a Sétima-Feira.


É aquela altura que você não sabe mais se é tarde da noite ou cedo da
manhã. É algo que todos adoram, mas não sabem da existência desse
“semi-dia”.


É a em hora que os casais namoram dentro de quatro paredes, hora de a
mãe levantar para amamentar o bebê, hora de descanso onde as crianças
repõem as energias para o amanhã e é hora que a noite não pára.


A noite, apesar de fria na Sétima-feira, aquece. Faz com que todos
tenham vontade de abraçar, beijar, suar, transar, pular, dançar e tantas
outras ações. Faz com que todos pensem: tomara que o Sábado demore para
terminar. Mal sabem eles que o Sábado ainda nem chegou. Que aquele dia,
é algo entre as madrugadas dos dois dias favoritos das pessoas, onde o
final de semana começa.


Sétima-feira é o segredo dos poetas, assim como os Templários tinham
os seus. Agora, que o tornei público, façam o favor de contar para o
vizinho, para os avôs, para os pais e filhos. Quem sabe assim, ao
perceberem quão maravilhosa é a Sétima-feira, nossa semana passe a ter
oito dias, sendo dois deles, sagrados: Um para descanso e o outro para
se libertar da mesmice causada pelo calendário

Texto das antigas. Acho que escrevi “Sétima-Feira” em 2006, por aí e o encontrei ontem. Gosto dele, acho que valeu fazer o resgate.

Ah, um adendo que não está no texto: A sétima-feira só acontece quando vale a pena.

Bom domingo!

Instagram

No Instagram da Cerejeira – Semana 15

“Traz nas asas um novo dia
Me ensina a caminhar”
(João de Barro – Maria Gadu)

1. Amor antigo e eterno. – Foto de ontem a noite (eu com cara de “acabei de sair do trabalho”, porque, de fato, tinha), junto com a mulherada das antigas. Na ordem da escadinha: Mariane, Thayana, Cerejeira e Yve. Amigas desde a época da escola. Saudades imensas delas. Foi ótimo comemorar o aniversário da Thay e ainda nos reunirmos. 
2. Viva os 30 anos do casal! – Mais uma comemoração na semana: 30 anos de casados dos meus pais. Comemoração num restaurante japonês aqui em Foz que, me perdoem, não lembro o nome. Na verdade, não fiquei muito fã. Quem curte comida japonesa, recomendo Sushi Hokai e Laos Bar. Tem outros restaurantes, mas não conheço. Já ouvi falar no Club Maki e Origami (Ciudad del Este), mas nunca fui. Em todo caso, PARABÉNS AO CASAL!
3. Ganhou vida. – Chegou Natal! Pinheirinho montado aqui em casa. Dá outro clima, né?! 


4. Só a “moguegada”. Oh wait! – Maaais festa! Semana passada postei uma foto com a minha amiga formanda, Juliana (Instagram da Cerejeira 14). A colação foi na quinta e o baile na sexta a noite! Esse povo na foto são meus “primos” de outras mães. Crescemos, aprontamos e brincamos juntos. Sempre rola uma nostalgia quando nos vemos. Delícia de companhias!
5. Sempre tem uma tonga que põe a flor do arranjo de mesa na cabeça. – E, em 99% das vezes, serei eu.

6. It’s party time! – Ainda sem saber fazer cara de foto… Amo/sou tutoriais da internet. Maquiagem via Petiscos e cabelo via The Beauty Department. Porque gastar em salão não me pertence mais (tanto).

Siga a Cerejeira no Instagram!

Instagram

No Instagram da Cerejeira – Semana 14

“Na insistência da imaginação
Pobre coração”


1. Maninha que eu escolhi há 22 anos. Orgulho imenso de você! Parabéns pela conquista. Amo amo! – Formatura ontem da minha amiga/irmã, Juliana. Nossas mães trabalham juntas há mais de 20 anos e, portanto, nós nos conhecemos desde sempre. Com anos, acabamos, infelizmente, nos afastando um pouco, mas essa é uma daquelas amizades que, não importa o que aconteça, se leva por toda a vida. 
2. Hoje tem festa, bebê. – Como eu não sei tirar foto trajando o “look do dia”, eis só o “look”. Rá!
3. Still not good enough. – Calor insuportável em Foz (só pra variar um pouquinho). Entrar no carro é horrível. Eu sinto o que sentem os pães de queijo ao serem colocados no forno pré-aquecido. E, olha, não há ar condicionado que dê conta. E sabe o mais legal? Ainda não é verão. #oremos


4. Tem gente que voltou LYMDA do salão. – Amo a Meg, mas confesso que ela tem a maior cara de boba/monga. Faz parte do charme dela. Aí, ela volta do banho com um lacinho de strass na cabeça. “Véi… na boa”, chorei de rir. Sorte minha que o apetrecho não durou muito, senão eu estaria com a barriga doendo de tanta risada. Essa foi a única foto que consegui registrar. Infelizmente, não é o melhor ângulo. Eu queria que vocês vissem a cara dela. Aí iam me entender… 
5. Vem, sua linda! – Essa foto foi de terça-feira, quando todos os moradores de Foz do Iguaçu pensaram que o fim do mundo tinha se adiantado e ia começar por aqui. Milhares de pedidos e comemorações nas redes sociais por essa chuva……. que não veio. Foi a maior trollagem de São Pedro. Sacanagem! 

6. Tinto de Verano feito em casa. Rá! – Achei a fórmula da felicidade receita do Tinto de Verano! Isso era algo que eu tomava na Espanha, uma bebida super dili e refrescante. Aí, sexta-feira, rolou um churrasquinho (#mimimidiaEvento) aqui em casa e eu resolvi tentar fazer. Para a minha alegria, deu certo! Pega o bloquinho onde você tem anotado todas as outras gordices da Cerejeira e anota aí:
Ingredientes
1. Vinho Malbec (não me invente de comprar um vinho super caro! Eu não lembro qual marca era esse que eu usei, mas estava na faixa dos 15 reais).
2. Sprite Light ou H2OH sabor limão
3. Suco de um limão
Modo de preparo
1. Em uma jarra, coloque todo o vinho (750mL) e meia garrafa do refrigerante. O limão é opcional, mas eu achei que deu um gostinho a mais. Capriche no gelo, porque tem ser servido mega gelado.
Divirta-se!

Veja mais da Cerejeira aqui.

Close