Monthly Archives

junho 2014

Textos

Acostume-se

Não estranhe as minhas manias, não. Aliás, acostume-se com elas para a minha estadia ser mais longa e confortável.

Acostume-se que tenho preguiça de tirar a maquiagem a noite e que prefiro andar descalça pela casa. Acostume-se que falo com cachorros na rua e, se eu puder, vou fazer carinho neles. Acostume-se que sempre vou deixar um espaço para a sobremesa.

Habitue-se com o fato de que falo junto com as personagens durante os filmes (mas digo baixinho para não te atrapalhar). Eu também prefiro o lado da cama que fica próximo à parede ou ao armário – e eu roubo a coberta. Desculpe por isso…

Acostume-se com o fato de que não preciso de um momento especial para dizer que eu amo. Pode ser logo depois de acordar, ou às 16h39, ou antes de dormir, ou durante um abraço. Falo quando der vontade… E mais de uma vez ao dia.

Acostume-se comigo aqui. Não invadindo o seu espaço, mas ocupando uma fração dele e que o mesmo acontece no sentido inverso. Acostume-se com a ideia de que você também faz parte do meu e de mim. E, mais do que tudo, acostume-se com o meu coração romântico-teimoso, porque ele agora é seu.

Textos

Cinco segundos

Estava na hora de ir. O ônibus sairia dali alguns minutos e eu tinha que correr para não perder o avião. Detesto despedidas. Sempre me esforço para não acabar em prantos e nesse caso, então, nem se fala…. Pisquei rápido várias vezes para desfazer as lágrimas que já queriam se acumular.

– Tenho que ir
– Eu sei. Boa viagem.

E você me abraçou como se o seu corpo contradissesse a sua razão. Você sabia que eu precisava ir, mas seus braços pediam o contrário. “Que ‘boa viagem’ que nada! Você vai ficar aqui!“. Não sei com que forças nem por que eu me soltei.

Pensei em você no caminho inteiro. Repassei nossos dias mentalmente de novo e outra vez. Contei os passos de distância para eu ter uma medida oficial da saudade que me acometeu. E ali, olhando para o nada, deixei o choro, antes censurado, sair.

Eu deveria ter te abraçado por mais tempo. Aqueles cinco segundos extras que eu julguei ser de mais… Bem, eu sinto falta deles. Agora, antes de dormir, quando ouço a sua voz.

Ah, se eu pudesse voltar no tempo… Teria ficado nos seus braços até perder o voo. Até perder a noção dos minutos. Até eu me perder em você. Até não restar nada além de nós dois.

É, eu quero aqueles cinco segundos. E todo o tempo que vier depois.

Textos

Se é pra ser

É você. Você mesmo. E vou ter que contar pra todo mundo, porque eu sou dessas que sai contando a todos os ventos, sim. Ou você achava que poderia vir aqui mexer comigo e me deixar calada? Não, meu bem. Não… Vou dizer e apontar que é você.

Você que faz a batida do meu coração virar sinfonia e faz da minha alma, bailarina. Eu também achava isso uma daquelas besteiras de romancinhos com a Jennifer Lopez ou coisa de paixão-hormonal adolescente baseada na saga Crepúsculo…

Mas você… Ah, você!

Foi você que mudou tudo. Você me transformou numa dessas debiloides que parecem ter saído de um musical. Sabe, aquelas que começam a cantar pela rua como se não existisse ninguém por perto para notar a minha voz desafinada.

Não sei se esse trem é irreversível. Mas, pra falar bem a verdade, tô com uma vontade tamanha de me jogar nisso apesar de todos os efeitos colaterais que pode causar… Porque eu não sei nem se quero voltar a ser como antes. Então, se é pra ser assim, então que seja. Se é pra ser, que seja um daqueles amores inspiradores. Se é pra ser, que não seja em vão.

Textos

Entre sem bater

Quando você voltar, não precisa bater na porta. Só entra. Dispense as cordialidades e cerimônias. Não vou dizer “não repara a bagunça”, porque a maior de todas não é a da casa, mas a que ficou em mim quando você se foi. E essa não tem como passar despercebida. Mas, com você aqui, tudo volta ao devido lugar. Inclusive você e eu.

Estilhaça em mil pedaços essa camada de saudade que se afixou no meu coração. Retoma o seu espaço no meu peito e não sai nunca mais. Deixa ele aquecido de novo. Você já descobriu o mundo, conheceu novos horizontes, mas faz de mim o seu destino final. Seu porto seguro. Seu lar. Meu colo é seu. E ele pede o seu retorno… Vem logo pra gente fazer tudo e nada juntos.

 Não precisa me trazer flores para alegrar a casa… Sua presença já vai fazer isso. E o seu perfume também vai deixar o ambiente com aroma suave. Você faz meu riso voltar em sua melhor forma. Quando você ocupa sua vaga na cama, meus sonhos são mais bonitos e meu sono, sereno.

Então, sem demora, entra e vem direto pra mim, pro meu abraço e pro meu corpo. E pouco importa se amanhã temos que levantar cedo ou não. Eu só sei que quero você agora aqui comigo. E, enquanto você ficar, o tempo será infinito.

Entretenimento, Leca

Minha História

Nessa semana, Foz do Iguaçu, minha cidade natal, completou 100 anos. E, para homenagear a minha terrinha, a banda Gonzales (minha banda amada!) fez uma música especial para esse aniversário. “Minha História” foi lançada no dia 10, data do centenário.

Foi um trabalho muito legal, inspirado nos depoimentos que ouvimos para o projeto “A Minha História é a História de Foz” (a canção é trilha sonora oficial desta ação do Clickfoz).

Foz é conhecida por sua diversidade. Mais de 80 etnias vivendo em paz e harmonia num mesmo território. Muitos dos moradores daqui vieram de fora – ou tem os pais que se mudaram para cá – com o propósito de mudar de vida. Começar um novo capítulo. E muitas famílias deixaram tudo o que tinham para um nova fase aqui.

Então, com essa música, os iguaçuenses – por nascença ou por coração – são os verdadeiros homenageados. Sem eles (vocês, nós), a história de Foz não existiria.

Espero que gostem do nosso presente:

Ficha Técnica:
Banda Gonzales
Minha História
Composição: Carlos Rizzi Junior, Erick Gonçalves Castro, Júlio Cesar Rissa, Letícia Lichacovski e Marcos Dellazari
Letra: Júlio Rissa, Letícia Lichacovski e Marcos Dellazari
Arranjo e harmonia: Erick Gonlçalves Castro, Júlio Cesar Rissa e Marcos Dellazari
Captação e Mixagem de som: Jorge Thiago Luiz Dalmagro
Imagens: Erick Gonçalves Castro, Garon Piceli, Lauane de Melo e Letícia Lichacovski
Edição: Garon Piceli
Agradecimentos: Pulso Estúdios e Portal Clickfoz

Textos

Herói

Eu não quero, mas você precisa ir. Para longe e agora. Me dói dizer isso, mas é muito mais doloroso ver você se destruindo por minha companhia – como se eu merecesse o sacrifício. Eu sou mesmo um filho da puta egoísta por ter deixado você ficar. Me perdoa por isso e por tudo que estou fazendo, mas eu te amo demais para permitir que isso se estenda.

Você faz eu me sentir melhor e mais vivo. Algo que não seria possível sentir. É inexplicável. E eu me odeio por ter que abrir mão disso… Eu sou um patético. Por favor, nunca pense o contrário. Jamais, eu repito, jamais pense que o problema é você.

Você é o tipo de garota que inspira o mundo, canções, epopeias e eu… Bem, eu sou essa bagunça, cada vez pior. Cada dia mais confuso e sem direção. Eu tô perdido. Completamente. E isso inclui o fato de estar perdidamente apaixonado por você, por seu sorriso, seu perfume, suas roupas, seu cabelo e tudo que te compõe.

Então, vai agora, antes que eu mude de ideia. E eu não posso deixar que isso aconteça. Não posso ser o herói que te salva do mundo, mas posso salvar você de mim.

Vou fechar os olhos pra não precisar ver você saindo, talvez fique mais fácil. Feche a porta sem fazer barulho, para eu não notar o estrondo que sua ausência vai fazer.

Recupere-se dos estragos que causei ao melhor coração que eu já vi e habitei. Fica bem, por favor. E entenda, talvez a noite ou daqui uma semana, não sei quando, mas entenda que deixar você ir foi a maior prova de amor que eu pude te dar.

ETC

Que haja amor

*Texto publicado originalmente em Entre Todas as Coisas

Desejo, do fundo do meu coração, que não lhe falte amor. Seja próprio ou de terceiros. Seja para enviar ou receber. Que haja amor, meu bem. Sempre. E tudo o mais será coadjuvante, inclusive os problemas insuportáveis.

Que haja amor já no seu café da manhã. Que ela lhe prepare, com carinho, aquele café forte que você tanto gosta. Que haja amor nos abraços de despedida, de arrependimento, de conforto e de afago.

Que haja amor quando você pensar em desistir. Que ele lhe faça tentar um pouco mais e de novo. Que haja amor para que você aja mesmo cansado. Que ele seja o combustível para você seguir adiante.

Que haja amor em todos os beijos, porque beijar virou normal entre as bocas. Mas com sentimento é diferente, capaz de tocar a alma e reviver um coração que já não queria mais pulsar desse jeito.

Que haja amor para te fazer esquecer os machucados que amores passados causaram. Que o novo seja melhor e maior que o antigo. Que ele revigore cada célula do seu corpo e te encha de vida novamente. Que haja amor para te mostrar que corações são capazes de sarar.

Que haja amor ao dormir. Que ele invada seus sonhos e te faça voar. Que haja amor ao despertar e ao sair da cama na manhã fria. Que haja amor em todas as ocasiões dos seus dias. E, principalmente, que haja amor forte o bastante para te fazer voltar.
Histórias da Tia

Histórias da Tia: Metamorfose

Fiquei uma semana em viagem e morri de saudade da minha baixinha. Então, o texto de retorno da Cerejeira é pra ela.

“Você já sorri. E é uma delícia vê-la puxar os lábios num sorriso banguela e sapeca. É como se não existisse tristeza capaz de competir com ele. Que poder você tem, bebê…”


Vem ler Metamorfose


Close