Monthly Archives

dezembro 2014

Instagram, Leca, Listas

Retrospectiva da Cerejeira

Terminei o ano passado pedindo que 2014 fosse cheio de amor. Consegui o que queria – com alguns extras já conhecidos: Choros, risos, lutas, superação, descobertas e muitas lapidações.

Claro, todo ano tem seus altos e baixos mas, nesse, os baixos foram mais fundos e, por isso, os altos, mais altos do que nunca.

Em 2014, ganhei uma das minhas maiores alegrias: minha sobrinha, Eliza. E vi minha afilhada, Lavignia, crescer e completar seu primeiro ano de vida.

Gravei minha primeira música em estúdio, toquei na Virada Cultural, e estou aprendendo a me soltar mais no palco (a ponto de os meninos chegarem e dizerem: “Leca, você arrasou!“).

 

Fiquei, por mais ou menos seis meses, ao lado do meu namorado na luta final contra a leucemia. Acompanhei a adaptação da nova medula após o transplante, a recuperação dele e tive que me virar para conseguir cuidar dele em um apartamento alugado na capital. Essa foi a parte em que mais cresci, com certeza.

Me chamem de menina mimada se quiserem, mas cuidar de casa – limpar apartamento, ter que cozinhar todos os dias, lavar roupa diariamente, ainda mais no nível que tinha que ser (ele não podia ter nenhum contato com bactérias, foi um momento bem crítico, então, não era “qualquer limpeza”), foi algo pelo qual eu ainda não havia passado.

Sabe, esse período tempestuoso me fez amadurecer. Fez eu perceber que a gente tem uma força que desconhece. Ela fica ali, num casulo, esperando a hora de sair e ser usada. Eu chorei muito nessa época. E fui colo para choro também. Em ambos os casos, de alegria e de angústia.

Em novembro, voltamos para casa, em Foz do Iguaçu. Em dezembro, recomeçamos a namorar (dessa vez, sem hospitais, máscaras e remédios). Agora, estamos mirando um 2015 cheio de vida, saúde e amor (que nunca nos faltou).

2014 foi o ano em que o Cereja cresceu e ganhou nova cara. E espero que o próximo ano seja de muitas novidades, textos, inspirações, leitores, e-mails.

Que a gente agradeça mais (a Deus e aos outros) e reclame menos. Que a gente ame mais e brigue menos. Que a gente seja melhor. Sempre.

Feliz Ano Novo.
 
ETC

Não sei dizer “Eu te amo”

*Texto publicado originalmente em Entre Todas as Coisas

Eu te vejo aflita quando se trata dos meus sentimentos. Morde os lábios e fica com os olhos cheios de lágrimas porque ainda não me ouviu dizer que te amo. Não se preocupe, pequena. Eu sou fechado mesmo, mas aqui dentro, tudo é seu. Eu só sou sem jeito com as palavras. Prefiro que minhas ações falem por mim, porque tenho medo de morder a língua de novo.

É que o meu tipo de amor é diferente do seu, que cresceu vendo as princesas Disney e, querendo ou não, ainda carrega a inocência dos contos de fada. Não acho isso uma coisa necessariamente ruim, mas te faz esperar o tal príncipe encantado – o que pode me deixar abaixo das expectativas.

Olha, pequena, dentro do meu abraço, eu espero que você perceba que eu sou louco por você. Muito mais além do que qualquer forma verbalizada poderia expressar. E esse sou eu, no meu modo mais intensivo, tentando fazer você feliz. E eu sei que isso é difícil, mas peço que tente perceber a diferença gritante do meu antes e depois de você.

Percebeu? Notou como, com você, eu rio mais para o mundo e que eu não sou mais tão quieto num canto?
É isto que você faz comigo: Uma pessoa melhor, mas eu não saberia falar isso sem gaguejar ou trocar as palavras, me atrapalhar todo. Por isso, deixo meus beijos te mostrarem como eu te quero. E os meus olhos tem a função de te dizer que eles são só seus.

Eu te amo com tudo de mim, pequena. É um amor genuíno, acredite. Concreto. Forte.

Eu só não sei dizê-lo.

Textos

Oi, amor

O primeiro amor a se despedir de mim foi o do Gustavo. Eu tinha 13 anos – os amores infantis não contam nessa lista de despedidas. Ele disse que me achava legal, mas me “amava só como amiga“. Aquelas desculpinhas difíceis de digerir, que a gente fica ruminando por um bom tempo, repetindo as palavras “amiga, amiga, amiga”.

No ano seguinte, foi a vez do amor do Rogério. Aproveitamos um tempo legal, andar de mãos dadas (escondidos) no colégio, burlar as regras, fugir de inspetores. Até que, em um intervalo, ele veio com a suposição: “Você quer algo sério e não estou pronto pra isso“. E lá se foi no meio dos tantos meninos do segundo ano. Nunca mais o vi pelo pátio.

O terceiro amor foi sério e com duas despedidas. A primeira delas, depois de alguns anos juntos, o Marcelo disse: “Eu fiquei com outra garota”. Meu coração partiu em dor e ódio. Voltamos um mês depois, mas eu ainda não havia aceitado bem a situação. As palavras começaram a se misturar na minha cabeça: “amiga, fiquei com outra, amiga, amiga, outra“. Resolvi que era a primeira vez de me despedir, sem voltar atrás dessa vez.

A despedida seguinte foi a mais dolorida, com certeza. Novamente, por iniciativa minha… Às vezes me pergunto se tomei a decisão certa, porque não sinto totalmente a sensação de “caso encerrado” como nas outras vezes. E, mesmo sem ter mais contato, acho que o Felipe pensa o mesmo. Talvez alguns “adeus” não deixem essa estranheza de “nunca mais vamos nos ver”. Algo meio Rachel e Ross ou Ted e Robin..

Mas aí veio você que, seguindo o sentido contrário dos outros, me diz “Oi, amor” todos os dias. E, quando chega a hora de ir embora, logo complementa: “Não é adeus, é só até logo. Até amanhã. Até eu dormir, porque vou te encontrar nos sonhos“.

Você é o amor que não se despede. É aquele que diz que vai ficar – e fica.

Textos

Vamos voltar

Tudo que eu queria era você. E ainda quero (muito), mas cheguei ao ponto de querer voltar, amor. Retornar ao início, antes das feridas mais fundas acontecerem. Antes dos erros idiotas e doloridos. Vem comigo? Me segue até lá e a gente recomeça.

Vamos voltar às tardes em que dormíamos no sofá durante um filme e, ao acordar, trocávamos carícias e malícias. Aos dias em que você me roubava beijos enquanto eu tocava violão. Às conversas de madrugadas que nos faziam esquecer de dormir. Vamos demorar nessas partes favoritas.

Eu sei que é impossível manter a paixão inicial para sempre – ou mesmo por um período não tão longo. Mas deixar tudo sucumbir assim, sem tentar recuperar uma parcela do que um dia já foi? Eu me nego a desistir tão fácil. Mas não dá pra fazer sozinha. Por isso, pergunto de novo: Vem comigo ao recomeço?

Ao tempo em que você me dava flores ao invés de desculpas. Ao tempo em que eu me importava se você fosse atrasar para o cinema. Ao tempo em que não tirávamos as mãos um do outro. Ao tempo que sinto saudade…

Vem comigo e vamos reviver. Recomeçar. Reencontrar o que perdemos no caminho – e segurar com as mãos bem firmes para não escapar outra vez. Vamos voltar e refazer a estrada para que, desta vez, não termine em uma bifurcação.

 

Textos

Quanto tempo faz

Você pediu para esperar e eu acatei ao seu pedido. Disse que não iria demorar e eu acreditei. E eu já perdi a conta de quanto tempo faz que continuo aguardando. Às vezes eu odeio esse amor que me faz esperar não sei bem pelo quê.

Se já pensei em sair e seguir a vida? Claro que sim. Mas os pés não respondem aos meus comandos. E, se respondem, o coração fica. Nunca consigo sair por inteiro, sempre fica uma parte para trás, ainda alimentando a expectativa de que, logo, a espera irá terminar.

Talvez seja a curiosidade: O que te fez atrasar tanto? Deve ser grande, pesado e soltar fogos de artifícios. Ou, ainda que seja algo mais singelo, talvez você venha com uma história fantástica de uma jornada cheia de batalhas, confrontos e lutas, mas que você persistiu incansável para chegar até aqui.

Em contra partida, o outro lado de mim está morrendo de medo de que, quando chegar, você vai dizer que demorou porque não tinha certeza se queria mesmo vir. Ficou perambulando um pouco pelo caminho, cogitando a hipótese de voltar de onde veio, mas continuou porque… Bem, você ainda não tem essa resposta.

Queria que eu tivesse um meio de saber a sua atual localização e velocidade – apesar de saber que eu quero que você venha mais ligeiro do que o seu passo, não importa quão rápido ele já esteja. Essa é a minha ânsia por você.

Ei… Não precisa chegar com nada, não. Nem uma flor que você arrancou da trilha. Não precisa se desculpar nem se justificar. Venha só com a sua vontade de ficar pra sempre.

Você pediu para esperar e eu tô aqui, esperando. E já não sei quanto tempo faz.

 

Textos

Além de mim

Eu aprendi os seus macetes. Sou privilegiado com informações únicas, aquelas que os seus próximos amores terão que ralar muito para encontrar.

Até isso acontecer, quem, além de mim, sabe que você se comove até em propaganda, mas não deixa transparecer? Eu mesmo só descobri porque virei o rosto para falar com você sobre um assunto qualquer e vi seus olhos marejados.
– Você está chorando por causa disso?
– Claro que não! Eu tô com vontade de espirrar…

Levou um tempo para você admitir que eu estava certo. E isso me rendeu boas brincadeiras.

Quem, além de mim, pode imaginar que por trás dessa imagem certinha, você tem uma vontade escondida de por um piercing no mamilo? Que acha o máximo e sexy o apetrecho… Que já marcou e desmarcou duas vezes para colocá-lo?

Se bem que isso é fácil descobrir. Não são informações super secretas…

Mas quem, além de mim, vai achar o ponto das suas costelas que te faz arrepiar?  Foi tão bom quando eu o descobri – e tão sensual. Lembro que como ficou a sua pele quando passei meus lábios por ele. Acho que nem você sabia da existência desse local sagrado.

Na verdade, o que eu quero saber mesmo é: quem, além de mim, vai saber que você ainda me ama? É, eu sei. Soube naquele dia que nos encontramos no mercado. Você tentou disfarçar, mas eu já conheço bem os sinais do seu corpo… E eu tive que conter o meu impulso para não te abraçar e beijar.

É, bonita… Eu também ainda carrego amor por você. Tô trabalhando para torná-lo menor. O tempo está ajudando, mas basta te ver por um segundo que eu regresso na tentativa de te esquecer de vez. Acho que ele está mais para agente duplo nessa missão.

A verdade, minha menina, é que eu ainda trago um pacote de sentimentos muito grandes por você. Gigantes. Imensos. Que vão além de mim.
Textos

Opostos

Ela acorda cedo para dar tempo de alisar o cabelo e se maquiar. Ele enrola o máximo que pode na cama e perde a hora com frequência. Ela toma banho quente. Ele joga água gelada do rosto.

Ela não sai de casa sem ler o horóscopo e prefere cereais integrais com iogurte. Ele não pode deixar de resolver o Sudoku enquanto toma o café preto matinal.

Ela canta em voz alta no carro e mexe no celular quando para nos sinais. Ele ouve as notícias e se concentra no trânsito e nos pedestres.
Ela é comunicativa e trabalha bem em equipe. Ele é tímido e passa horas sozinho na frente do computador. Ela se dispersa facilmente. Ele é super concentrado.
Ela prefere comer a salada por último para a comida não esfriar. Ele come as alfaces e tomates primeiro para não exagerar no macarrão.
Ela gosta de praticar esportes e de brincar com os cachorros. Ele vai a academia e joga video game. Ela toca violão nas horas vagas. Ele lê filosofia.
São tantas diferenças, tantas divergências…
Que poucos acreditam que ambos vivem muito bem juntos, sendo felizes com seus opostos, numa versão cotidiana de Eduardo e Mônica, provando que, quando se trata de amor, o coração é quem tem toda a razão.

 

Leca, Listas, Textos

Os favoritos da Cerejeira

Nem todo texto que eu escrevo, eu amo. E nem tudo que passo para palavras me marca, de fato. No começo da semana, divulguei quais foram os escritos mais lidos no decorrer do ano.

Hoje, vou contar quais eu mais gostei de ter feito.

1. Te carrego
Publicado em 7 de julho 

“Você ainda não sabe, mas… Bom, vou falar sem rodeio: Eu ainda te carrego na mochila. É, é, eu sei que deveria ter te devolvido por inteiro, mas não deu. Desculpa! Eu simplesmente não consegui abrir mão desses seus pequenos fragmentos.”

2. Volta logo
Publicado em 26 de agosto

“Sinto sua falta quando assisto Mad Man, porque sei que é um dos seus seriados favoritos. Sinto sua falta quando a mensagem do celular não é sua e mais ainda quando é. Sinto sua falta quando vejo aqueles programas de culinária gringos.”

3. Não se preocupe
Publicado em 21 de fevereiro

“Não se preocupe com os dramas dela, rapaz. Vai por mim, eles são passageiros e não representam quem ela é de verdade. Eles são apenas um meio de extravasar o excesso de sentimentos que pulsam naquele coração. Boa parte deles é por você.”

4. Quando eu te vejo
Publicado em 24 de setembro

“Quando eu te vejo, me dá vontade de sorrir. Com os lábios, olhos e alma. Um sorriso como se só houvesse eu e você no mundo e que me faz esquecer que ontem foi horrível.”

5. Ela é de Leão
Publicado em 22 de setembro

“Mas, quando ela ama… Se você conseguir chegar no ponto em que ela ama, cara, você é um homem de sorte. Elogie-a sempre. Diga o quanto está bonita e cheirosa – ela sabe retribuir bem, seja com palavras ou ações. Será sua melhor companhia. E vai te proteger de tudo que puder, com garras e dentes.”

6. Meus dias mais bonitos
Publicado em 7 de maio

“Ei, você já vai? Então, me dá mais um abraço inesquecível, um afago na bochecha e um beijo na testa. Faz as malas e brinca que eu não coube nela. Diz que você volta… Que vai ser mais rápido do que a gente imagina. Diz que volta e volta logo, porque meus dias mais bonitos estão indo com você.”

7. Sonic Youth e saia rodada
Publicado em 6 de outubro

“Quando você chegou – aliás, eu adoro toda vez que você chega – minha felicidade veio junto, de mãos dadas com a garota da saia rodada e camiseta do Sonic Youth. Fiquei te olhando, extasiado, sentindo meu coração gritar: “É ela! É ela!”.”

8. Entre sem bater
Publicado em 17 de junho

“Estilhaça em mil pedaços essa camada de saudade que se afixou no meu coração. Retoma o seu espaço no meu peito e não sai nunca mais. Deixa ele aquecido de novo. Você já descobriu o mundo, conheceu novos horizontes, mas faz de mim o seu destino final. Seu porto seguro. Seu lar. Meu colo é seu.”

9. Acostume-se
Publicado em 30 de junho


“Acostume-se que tenho preguiça de tirar a maquiagem a noite e que prefiro andar descalça pela casa. Acostume-se que falo com cachorros na rua e, se eu puder, vou fazer carinho neles. Acostume-se que sempre vou deixar um espaço para a sobremesa.”

 

10. Brincando com tinta

Publicado em 29 de julho


“Por exemplo, acho que você deve parar de esconder suas sardinhas com maquiagem. Elas te dão um ar de menina sapeca que me deixavam louco. Sem contar que servem como moldura para seus olhos verdes. Como se alguém tivesse brincado com tinta sobre o seu rosto e feito dele uma obra de arte.”

Leca, Listas, Textos

Retrospectiva do Cereja – Os mais lidos

Chegou dezembro, o mês de relembrar o melhor e pior do ano. Então, vamos começar listando os dez textos mais lidos por aqui.

 

1. Sem querer
Publicado em 8 de agosto.

“Vou dizer bem a verdade: eu já tinha aposentado a ideia de me apaixonar novamente. Até mesmo porque sempre parecia ser cedo demais. Não importa quanto tempo já havia passado desde a última vez. A dor causada fazia parecer tão recente… Por isso, eu abri mão dessa história de paixões e amores. Pelo menos por um (bom) tempo, não queria nada disso pra mim.”

2. Porque eu gosto de você
Publicado em 24 de fevereiro.



“Moço, tô aqui pra dizer que eu gosto de você.

E se eu tô assumindo isso é porque é coisa séria. Se eu tô correndo o risco de passar por ridícula, é porque meu gostar já é maior que meu medo – e eu sei como isso é coisa rara.”

 

3. Volta logo
Publicado em 26 de agosto.

“Sinto sua falta quando sento no sofá e não tenho sua mão para segurar. Ou nas tardes mais preguiçosas, quando minhas pernas não servem de travesseiro para sua cabeça. Sinto sua falta quando meu dia foi péssimo e quando tive o melhor dia de todos.”

 

4. Se é pra ser 
Publicado em 20 de junho.


“Não sei se esse trem é irreversível. Mas, pra falar bem a verdade, tô com uma vontade tamanha de me jogar nisso apesar de todos os efeitos colaterais que pode causar… Porque eu não sei nem se quero voltar a ser como antes. Então, se é pra ser assim, então que seja. Se é pra ser, que seja um daqueles amores inspiradores. Se é pra ser, que não seja em vão.”

5. Piscar de olhos
Publicado em 11 de julho

“Tudo bem que minha memória não é das melhores, mas desta vez eu falo sério: Não sei dizer mesmo quando foi. Em que dia da semana nem do mês… Sei lá se chovia ou se era um dia ensolarado. Aliás, nem sei se era dia ou noite!… A verdade é que não faço nem ideia de qual momento, qual decisivo momento, fez eu me apaixonar por você.”

 

6. Acostume-se
Publicado em 30 de junho

“Não estranhe as minhas manias, não. Aliás, acostume-se com elas para a minha estadia ser mais longa e confortável.

Acostume-se que tenho preguiça de tirar a maquiagem a noite e que prefiro andar descalça pela casa. Acostume-se que falo com cachorros na rua e, se eu puder, vou fazer carinho neles. Acostume-se que sempre vou deixar um espaço para a sobremesa.”

 

7. Um olhar sobre as coisas
Publicado em 15 de julho

“Eu gosto do conjunto All Star, calça jeans, camiseta e jaqueta de couro. Gosto do tempero que minha avó usa no molho do frango, de assistir TV com dois travesseiros e de delineador estilo gatinho.”

 

8. Meus dias mais bonitos
Publicado em 7 de maio

“Ei, você já vai? Então, me dá mais um abraço inesquecível, um afago na bochecha e um beijo na testa. Faz as malas e brinca que eu não coube nela. Diz que você volta… Que vai ser mais rápido do que a gente imagina. Diz que volta e volta logo, porque meus dias mais bonitos estão indo com você.”

 

9. Ela está
Publicado em 17 de julho

“Ela está a espera… Segurando as mãos, ansiosa, mordendo os lábios de preocupação. Será que a porta vai abrir, enfim? Será que o convite será feito? Dê a passagem e ela trará cor às tuas paredes brancas e música ao silêncio que te cerca. Deixa ela abrir as janelas e arejar o teu lar.”

 

10. Você também perdeu
Publicado em 31 de julho

 

“Depois da cara desinchar de tanto choro, tô me achando mais bonita. Até mudei o visual e aprendi a fazer umas maquiagens mais decentes para as ocasiões especiais. E achei ânimo para começar uma atividade física. Já percebi umas diferenças no corpo e tô curtindo o resultado. (Falando em palavras francas? Eu tô gostosa!)

Close