Monthly Archives

janeiro 2015

Textos

Eu preciso dizer que te amo

Hoje eu acordei com coragem para dizer “eu te amo” e enfrentar o possível silêncio de retribuição. Hoje, resolvi aceitar que você não precisa falar o mesmo. Ninguém é obrigado a amar o outro. O que eu não posso mais é deixar isso engasgado e desbaratinar com assuntos aleatórios para ver se o caroço some da garganta.

Ele pulsa. Faz doer todo o peito todo. E parece que, quando tento engolir, ele expande para tentar reverter o caminho. Não descia com água, cerveja, vodca. Só tinha um caminho para sair. Por isso, sem mais ter o que fazer, eu preciso tirar isso de mim: Eu preciso dizer que te amo.

Continue lendo

Textos

Eu não preciso ser bonita pra você

Se você não me acha dentro dos (seus) padrões, tudo bem. Eu me viro muito bem fora deles. Sem os cabelos loiros, lisos, macios e longos. Sem os olhos verde-esmeralda. Sem a barriga sarada e sem o corpo bronzeado.

A verdade é que eu nunca quis ser essa figura que você considera ser “perfeita”.  E se isso quer dizer que, aos seus olhos, eu sou feia, bem… O problema é totalmente seu, não é? Porque eu não vou me desfazer só para você me achar bonita.

Meu conceito de beleza não tem estereótipos, mas caráter.  Vai além dos olhos e do visual.  Beleza, para mim, é aquela em que a aparência é feliz. Satisfeita. Confortável, independentemente do percentual de gordura.

Eu não tenho por que estar conforme os seus gostos, nem sou obrigada a me encaixar nas suas fórmulas prontas. A verdade é que eu não preciso ser bonita pra você, porque já sou linda para mim.

Leitor

Seu outro alguém

*Texto da leitora Alexa León, com colaboração da Cerejeira

Eu realmente espero que sua viagem ao Peru faça você se encontrar consigo e que te carregue de boas e novas energias. Espero que encontre uma peruana, boliviana, venezuelana ou uma colombiana morena linda e se apaixone.

Apaga a luz, fecha a porta e mostra pra ela o quanto você a ama. Fala com jeitinho e diz como ela é importante pra você. E isso basta. Não lhe dê as estrelas, não lhe ofereça a lua. Ela vai sacar que você não pode prometer o que já não é mais seu. Que elas já foram o presente para mais alguém. (E, por favor, me deixa acreditar que são só minhas).

Ao invés de promessas, fale como ela é linda quando acorda e roube seu primeiro sorriso do dia. Ele é eterno e infinito. E o brilho dos olhos que o acompanham é duradouro no amor. Eu lembro como você me disse isso algumas vezes e quando me fez falta quando era só um cordial “bom dia”,

Como o tempo passou rápido! Agora, suas tristezas são ouvidas por outros ouvidos e suas mãos estão entrelaçadas em outras. Seus beijos tem outros lábios como destino. Os meus… Ah, os meus também, mas ainda não achei um que me faça não querer repetir os seus.

Quando eu esbarrar com você de novo, vou ficar em silêncio. Talvez, só ele possa responder as perguntas. E taparei os ouvidos também, para não cair na sua voz outra vez. Na língua de sua poesia. Da próxima vez, a gramática das suas promessas fáceis não vai iludir um coração imune a você.

Textos

Morar em você

Quando eu era pequena, queria morar em uma casa na árvore. Escolhi a que achei ser ideal e mostrei para o meu pai. “Ali, naquela! Vai ser bem legal, dá até pra fazer uma ponte!”. Claro, eu falava sob a perspectiva fantasiosa de criança. Sob a perspectiva da engenharia, o projeto nunca seria possível. E não foi.

Poucos anos depois, achei o máximo quando vi, num filme, uma garota e a mãe morarem num antigo prédio do Corpo de Bombeiros. Ainda tinha aquele cano que os agentes usam para descer quando toca a sirene. E a menina morava no último andar. Era uma mansão toda adaptada para as duas.

Quando chegou a fase do início da independência, quis morar sozinha. Arrumar um apartamento, uma quitinete que fosse, só para ter um lugar para chamar de meu. Mas o salário de estagiária não faria nem cócegas nas contas que eu iria arrumar.

Com a formatura e aumento de renda, quis mesmo é ir morar fora do país. Estados Unidos, Canadá, Austrália, onde Deus quisesse. Eu iria. Faceira e com muita disposição nas caixas de mudança. Claro que não demorou muito para a realidade, o juízo e, confesso, até o medo baterem para eu resolver ficar pelo Brasil.

Com o passar do tempo, o destino se encarregou de me levar para outra cidade, com novo emprego e, enfim, uma casa. E no meio dessa nova fase, achei você. Que me guarda em abraços ao invés de paredes. Que me dá muito mais que teto, mas um abrigo todo. Que me dá felicidade em forma de beijos.

Não demorou para eu querer me mudar e morar em você, meu verdadeiro lar doce lar.

 

Leca

Nova vida sem óculos

Faz dois dias que estou escrevendo este post (não posso abusar da vista ainda lesionada pelo laser), mas saiu!

Bom, eu nunca gostei de usar óculos. Descobri a miopia com 15 anos e, assim que o médico liberou, passei a usar lentes de contato. Acontece que no ano passado, meus olhos começaram a irritar muito e decidiram não aceitar mais as lentes. Aí, não teve jeito: virei quatro olhos em período integral.

Para mim, era incômodo. Acho legal o óculos como acessório, mas não como necessidade. É simplesmente horrível não enxergar (porque, além da miopia, eu também tinha astigmatismo). Nem tomar café dava certo, porque o óculos embaçava todo… Enfim: Decidi que queria fazer a cirurgia.

Acontece que, para isso, o grau precisa estar estabilizado, ou seja: no mínimo três anos sem alteração. Por sorte, o meu já estava sem mudanças há algum tempo.

Então, agora, eu vou contar como foi o procedimento e como está sendo a minha recuperação. Se você tem interesse em fazer esse procedimento, espero ajudar, mas é óbvio que você vai conversar e tirar todas as dúvidas com o seu médico. Quando se trata de saúde, dor, recuperação e etc., cada organismo reage de um jeito. Portanto, cada caso é um caso.

A cirurgia

Não me perguntem nomes técnicos, mas a cirurgia que eu fiz não tem corte. É só o laser, que trabalha em menos de um minuto em cada olho. Apesar de ser rápido, fiquei mais de uma hora no centro cirúrgico por causa da anestesia (local).

Não senti absolutamente nada – só, talvez, um pouquinho de cheiro de queimado. E pensei comigo: “Meu Deus! É o meu olho que está queimando!“. Quando levantei da maca, o médico pediu para eu ler aquele quadro de letras. E eu consegui ler. Sim, é rápido assim.

Mas calma. A visão leva de 45 a 60 dias para ficar 100%. Eu enxergo bem, já aposentei os óculos, mas ainda enxergo embaçado, já que o olho está no processo de cicatrização. O que o doutor explicou é que, nesse período, a vista vai oscilar até estabilizar. Ou seja: terão dias bons e outros não tão bons assim, mas é o normal.

Cicatrização e pós-operatório

Eu não tive dor, mas isso varia conforme o paciente… O que aconteceu foi uma semana meio entediante (sem muito computador, celular, livro ou TV) e com fotofobia (desconforto à luz). E, mesmo sendo uma cirurgia tranquila, não podemos esquecer dos cuidados:

– Sem exercício físico por um mês
– Não frequentar sauna, piscina, mar ou rio por um mês
– Evitar o consumo de álcool e fumo
– Não esfregar os olhos por três meses
– Sem maquiagem por um tempo
– Não usar perfume ou desodorante aerosol

Meus melhores amigos pelos próximos dias: óculos escuros, colírios e perfumes/desodorante roll on. Nada de spray.

Aos poucos, já voltei a ver televisão e usar o computador (mas não aguento muito tempo ainda. Tentei voltar ao trabalho antes do determinado e não foi boa ideia. Tive que ir embora mais cedo porque o olho cansou demais e eu já não enxergava mais nada). Também sinto um pouco de dificuldade para ler legendas, mas cada dia menos.

Eu já poderia, mas ainda não senti segurança para dirigir. Quero esperar a visão desembaçar um pouco mais.

Meus olhos não ficaram vermelhos nem super inchados. Alguns pacientes precisam usar um tampão para dormir nos dez primeiros dias para evitar que cocem os olhos, mas, para mim, não foi necessário. Só uma noite foi mais chata – a segunda depois da cirurgia, conforme o médico já havia explicado. O terceiro dia  foi mais incômodo porque começa a cicatrização (fiz a cirurgia na terça, então, o meu pior dia foi na quinta).

Foto tirada no dia seguinte. Quem diz que passei por uma cirurgia? Ah, as maravilhas da medicina…

Ah, eu precisei usar uma lente por cinco dias como proteção. Eu estava terminantemente proibida de colocar as mãos nelas. Então, o doutor as colocou logo depois da cirurgia e ele mesmo que tirou no sábado. Dormia de lente e tudo… Mas, tudo bem, não incomodou.

Acho que é isso… Agora, não sou mais cega e pareço criança aprendendo a ler – saio lendo placas e avisos pelas ruas, bem faceira.

Eu fiquei feliz com a minha decisão. E, se você pensa em fazer a cirurgia, repito: converse com o seu médico. Esse relato é do que está acontecendo comigo. Pode ser que não seja do mesmo jeito com você, ok?

 

Instagram, Internet, Leca

Cereja 2015: O que vem por aí

Uma semana longe da internet por causa da cirurgia corretiva de miopia, me fez pensar bastante sobre o Cereja. Além, claro, de analisar as respostas de vocês – por sinal, obrigada! Adorei as sugestões!

Então, espero que as mudanças planejadas agradem vocês. Vamos lá:

1) Horários de postagem

É, os horários de postagens irão mudar. Na verdade, já mudaram. A partir de agora, o blog será atualizado no final da tarde e início da noite. Tentarei, ao máximo, publicar sempre até às 21 horas.

2) Melhoramento da tag #Leca

Não sei quantas vezes por semana/mês vão rolar as dicas. Mas quando rolar algo que possa interessar vocês (por exemplo: Cirurgia corretiva de miopia). Experiências, filmes, música, sites que gostei e qualquer outro tipo de coisa que possa ajudar vocês em alguma forma.

3) Nova tag: #Opinião

Os textos vão continuar sendo o carro-chefe do Cereja. Mas, de vez em quando, vou postar textos mais opinativos (e, provavelmente, mais sarcásticos) por aqui.

4) Volta da tag: #CerejaNoMundo

Em março, a tag vai voltar! Sabem o que isso quer dizer? Isso mesmo: Depois de quase três anos, terei férias! Vou viajar e postar dicas bacanas por aqui. E já temos os destinos confirmados: Miami, Orlando e Tampo (EUA).

5) Vídeos: Cerejeira responde

Alguns de vocês pediram mais vídeos. E poucos sabem (por falha minha) que existe um canal do Cereja no Youtube. Então, pensei em envolver vocês nessa parte. Uma vez por mês, penso em fazer um vídeo respondendo as perguntas de vocês. Vocês podem mandar as perguntas por e-mail ou quando eu postar “FAÇA SUA PERGUNTA AQUI” na Fanpage. Vamos ver o que acontece. Que acham?

6) Instagram

Além das selfies (ninguém é de ferro, né?), costumo postar algumas dicas no IG. Então, para aprimorá-lo, também vou avisar pelo por lá sobre postagens de novos textos. Então, se ainda não segue a Cerejeira, vem aqui e tudo se resolve!

 

Uma foto publicada por Leca Lichacovski (@leca_dpaula) em Ago 29, 2014 at 3:11 PDT

É isso, galerinha. Curtiram?

Amanhã, rola o primeiro post “Leca” do ano. Se você é míope e pensa em fazer a cirurgia para deixar de ser cego, vou contar como foi (e está sendo) minha experiência pós-cirúrgica.

ETC

Te baguncei

*Texto publicado originalmente em Entre Todas as Coisas

Eu queria te bagunçar, sim. Mas a bagunça que eu buscava envolvia só cabelos desgrenhados, roupas amassadas, lençóis pelo chão. Queria, talvez, uma bagunça no seu escritório, tipo aquelas cenas de filme, em que a mulher chega de surpresa, tira as coisas de cima da mesa para ela poder deitar. Era essa bagunça que eu queria e não a que eu causei.

Desculpa pelo amor sem medidas que você me deu. Eu não tinha a quantia necessária para retribuir de forma justa, mas achei que conseguiria alcançar algo semelhante um dia. Por isso deixei acontecer. O que eu não percebi é que, quanto mais eu permitia, menos eu sentia. No fim, não era amor… É que você me fazia um bem danado pra eu abrir mão tão fácil.

Desculpa o meu egoísmo filho da puta. Acredite, eu me odeio por saber que te baguncei nesse tanto. Eu te vejo sem saber o que fazer agora, já que joguei todos os nossos planos fora. Eu os quis, sabe? De verdade. Eu queria ter ido conhecer sua família em Minas Gerais nas últimas férias. Queria ter adotado um cachorro vira-lata. Mas, o que seriam deles hoje? Seriam mais corações partidos (por mim).

Aguentar o peso do seu coração nas minhas mãos não é fácil. Eu queria que você voltasse a sorrir como antes. E quero muito que você não tenha medo de amar assim de novo. Ame! Eu é que sou o problema – por mais clichê que isso possa parecer. Você ama bem. Ama de verdade e isso é tão raro hoje em dia. Eu sou prova disso… Você deu azar ao me escolher.

Se eu pudesse, voltaria no tempo. Passaria reto por você naquele bar. Não tomaria a cerveja que você me ofereceu. Não teria te passado o meu número nem teria aceito o seu convite para a semana seguinte. Não teria deixado você se apaixonar por mim. Não teria te machucado. Não teria sido eu.

Enquete, Leitor

Pesquisa: O que você quer no Cereja?

Eu gosto muito de conversar com vocês. Quem me manda e-mail sabe disso (apesar de eu demorar um pouco pra responder. Mas não falho!).

Então, que tal vocês me dizerem o que querem no Cereja?

Os textos estão legais? Tem um tema para sugerir? O layout não tá muito prático? Sente falta do blog em alguma rede social (sem esquecer que o Cereja tá no Facebook)? Precisa de mais atualizações? Alguma coisa em vídeo?

Eu preciso do feedback de vocês para o blog a ficar melhor. Então, que tal participar da pesquisa? É rapidinho!

Desde já, obrigada pela colaboração!

Textos

De você, só quero adeus

Não quero nada de você. Não precisa se preocupar em me entregar flores ou me levar para jantar.  Não precisa me enviar músicas e dizer que lembrou de mim. Não precisa dizer que me achou linda. Não quero nem espero nada de você. Aliás… Quero, sim: o seu adeus.

Já que você não decide nunca se vai ou se fica, eu tomo a decisão por nós dois. Vá… Por que, de que adianta, serenatas a noite e sumiço no dia seguinte? Juras de amor a tarde e total silêncio pela manhã seguinte? Não, meu querido. Eu cansei do seu jogo.

A pior parte é que nessa sua de ir ou não, você bloqueia o caminho para eu sair ou para alguém que queira chegar. Então, dá meia volta e vai andando, tá? Porque você teve todas as chances de vir quando bem entendesse, mas optou por ficar pela metade. E eu quero alguém por inteiro.

Sua mão já me serviu de afago, de carinhos, de toques. Mas agora, eu só quero vê-la acenar. É, meu bem. Definitivamente, de você, eu só quero adeus. Não um “até logo” nem “até mais tarde”. Isso, eu já ouvi demais.

Um beijo, se cuida e espero que a gente não se veja por aí.

Textos

Eu vou casar com você

Sonhei com um casamento. Havia flores laranjas pelo salão. Tinha um homem a minha frente e muitas pessoas me olhando. Percebi, então, que eu era o noivo. Era eu quem estava casando! Que desespero me deu… Quer dizer, eu até quero casar um dia, mas ainda não estava pronto para essa imagem.

A gravata começou a apertar meu pescoço e eu não conseguia respirar. Sentia um nervosismo inédito e minhas mãos suavam muito. Senti que eu tentava acordar para sair daquela agonia, mas começou uma música que anunciava a entrada da noiva. Virei e a vontade de despertar foi embora no momento em que você apareceu.

Eu não consegui interromper a sua chegada. Você vinha numa nuvem e eu era o cara sortudo escolhido para ser o destino. Eu! A felicidade não coube mais em mim. Fiquei com vontade de chorar, gritar, sorrir, gargalhar, tudo ao mesmo tempo. Para não dar vexame, consegui reunir tudo num sorriso tonto.

Enfim, consegui entender porque vocês, mulheres, sonham tanto com casamento. Logo eu, que achava isso só um ritual burocrático… Mas vê-la no tão esperado vestido branco me fez acatar ao momento “mágico” e o querer tanto quanto você.

Então, quando nós acordarmos, vou olhar nos seus olhos e dizer: “Eu vou casar com você“. Mesmo sem ainda ter um anel para colocar no seu dedo, eu quero que você case comigo. Eu quero viver o seu – agora, nosso – sonho. E poder te receber em meus braços, de verdade, vestida como anjo.

Eu poderia te fazer um discurso gigante sobre como eu poderei te fazer feliz, mas você já sabe disso. Você sente isso. Então, a única promessa que eu faço agora é: Eu vou casar com você. Basta você acordar para começar a viver o sonho.

Close