Monthly Archives

agosto 2015

Leitor

Meu menino-americano

Texto do leitor Alexandre Martins, do Aros Redondos

Para ler ouvindo: All American Boy – Steve Grand

Oi. Tudo bem? O que você está esperando para pegar na minha mão? O que você está esperando para andar comigo pelas ruas de São Paulo e me comprar um churros e limpar o doce-de-leite que ficar no canto da minha boca? Não espere, vamos fazer. Vamos, você chegou na hora certa, pontual como sempre, até parece eu. Um espelho invertido. Não faz mal se temos diferenças a nossa essência é quase igual, não é mesmo?

Vem, me dê um abraço, um sorriso e um beijo. Deixe que todos saibam que estamos felizes e que pedra nenhuma vai abalar nosso caminho. Faça em mim a tua morada e adormeça em meu peito quando formos no cinema. Não esqueça de segurar a minha mão, você já percebeu como eu gosto disso? Eu adoro isso.

Eu nunca conheci ninguém assim e sei que você também não. Eu sei que sou o teu primeiro e vou fazer isso tudo valer a pena. Você não vai sentir falta do passado eu tenho certeza. Cada segundo será especial.

Vamos levantar essa bandeira juntos, jurar nosso amor à América e cantar nossa música predileta. Vamos despejar nosso brilho pelos rios poluídos e filtrar toda a sujeira com o nosso amor, você vai ver, a água vai brilhar.

Pule comigo nesse rio, vamos nadar até o amanhecer, me permita conhecer o teu corpo, matar tua vontade. Deixa o celular de lado e olha para mim, sou eu quem te dou atenção e não ela. Ela é passado agora, viva o novo comigo. Sei que parece ser difícil mas eu sei fazer ficar fácil: é só encostar a cabeça no meu ombro e esperar a dor passar.

Me dê a mão e vamos ser felizes, abra a porta do seu conversível e vamos a um bosque nos divertir, ver os pássaros cantarem enquanto o pipoqueiro mexe a panela à espera de novos clientes. Quero fazer tudo o quanto eu puder enquanto eu puder porque logo você vai escapar das minhas mãos, eu sinto que você vai fugir. Não vá, não ainda. Vamos fazer este sonho ser real, você vai amar. Corre para os meus braços porque está amanhecendo e eu não quero te perder quando o sol se levantar, meu Menino Americano.

Textos

Amor irrita

Não se engane: se você vive um relacionamento cheio de alegrias, sorrisos e somente bons momentos, você não sabe o que é amor. Mas aproveite bem a fantasia. Eu queria – aliás, acho que todos gostaríamos – que fosse sempre assim, só que a bem verdade é que o amor irrita.

Esse não é um discurso contra o sentimento ou contra querer encontrar alguém para dividir a vida. Pelo contrário: é para te preparar para o que realmente é uma vida a dois. Quem dera a gente pudesse escolher o que vinha no pacote.

“Moço, dá pra trocar esse vício por sertanejo caipira por rock irlandês? Não? Ah… Então, tira a mania de falar durante o filme por fazer cafuné. E, se der, também coloca um chip para memorizar datas importantes”.

Você não está pedindo um lanche fast food. A pessoa chega pronta para você, com um histórico, personalidade e temperamento, e isso vai implicar em um amor imperfeito e chato de vez em quando. Sim, você vai querer esganá-la vez ou outra (e vice versa, porque você também está longe da perfeição).

Ele não vai notar que você cortou o cabelo toda santa vez. Ela vai pedir carinho e atenção enquanto você joga ou assiste a um jogo. Ele vai fazer merda. Ela vai jogar algo na cara. Vocês vão se odiar por alguns minutos. Essa raiva também faz parte do amor – Yin Yang.

Nem o amor consegue ser alegre o tempo inteiro. E nem deve ser… Como há de crescer se não cometer erros? Desconfie de um amor que seja inteiramente correto. Ou espere um pouco mais para ver que nem tudo é o que parece.

Mas não se preocupe. Amar é gostoso, apesar dos surtos de vez em quando. Isso dá até um mix no tempero – afinal: doce demais enjoa.

ETC

Relacionamento sem sexo dá certo?

*Publicado originalmente em Entre Todas as Coisas

Muita gente (a maioria) preza pela importância do sexo no relacionamento. Estipulam a freqüência ideal, a quantidade de vezes por dia que gostariam de fazer e que realmente fazem sexo. Mas e um relacionamento sem sexo? Dá certo?

Não vou te responder isso. Na verdade, vou fazer outra pergunta: Por que não?

Sexo é legal e gostoso, mas se o casal (ou trio ou sei lá) opta por não fazê-lo, ninguém tem nada a ver com isso. Se “não transar” está entre os critérios estabelecidos – e for uma decisão respeitada por ambos – por que não pode funcionar?

Cada relacionamento funciona numa metodologia diferente, criada pelos envolvidos. Conheço casal que não dorme no mesmo quarto. E uns outros que não dormem nem na mesma casa. E adivinha? Eles são felizes.

O problema não seria não fazer sexo e sim na falta de desejo pelo parceiro. E, sim, são coisas diferentes. Tem pessoas que preferiram esperar para transar depois de casarem. O relacionamento é problemático por causa disso? Não vejo por que.

Seria se o casal não passasse por uns apertos e quase cedesse à tentação. Afinal, somos humanos. Um beijo já é capaz de nos excitar. Se você não sente isso com seu namorado (a), aí, sim, eu acho que seria uma boa você rever seus conceitos. O desejo é primordial. Sexo é resultado.

Ah, mas todo mundo fala que meu namoro é diferente por causa disso”. É mesmo. Mas diferente não é errado. Se dá certo pra você e para a pessoa com quem você se relaciona, é o que importa. O que rola (ou não) entre quatro paredes, não condiz a quem não dorme lá.

 

Textos

Eu, bomba relógio

Eu não sou sua inimiga, moça. Não me odeie só pelo título que carrego – mas isso também não é um convite para me conhecer melhor. Só me deixe estar, assim como eu a deixo. Acredite, eu quero o mesmo que você: que ele seja feliz. E eu abri mão de estar ao lado dele visando esse objetivo.
Continue lendo

Leitor

Pare de jogar

*Texto da leitora Laura Andreuccetti, do blog Dois cês, dois tês.

Ela é linda, não é?

É curioso como o cara que está com ela não aparece em momento algum. É curioso como o cara que está com ela não tira fotos, não comenta, não é presente em muitos lugares (a não ser em todas suas frases).

Ele é isso e aquilo, sabemos onde ele mora, sabemos como se veste, do que fala, o que deseja ser e onde prefere estar. É curioso como nunca o vimos. Em algum ponto da história deles, entre o primeiro olhar e o primeiro beijo, ele decidiu que facilitar as coisas não era uma opção. O que passou na cabeça dele?

Ele achou, em algum momento, que não estar tão presente deixaria ela com mais vontade dele, mas isso não existe. É claro que há essa curiosidade quando as pessoas não se entregam de pronto, curiosidade essa que pergunta a todo momento o porquê disso e daquilo.

Não precisa mais, moço. Ela está entregue. Ela está tão na sua que não sabe mais falar de outra coisa. Ela está tão na sua que quando você não se importa com o ex, quando você não aparece no dia marcado e quando você não liga, ela se machuca e vem correndo me perguntar se fez alguma coisa de errado.

Ela é linda, não é? E você não lida bem com isso? Porque se eu tivesse uma menina dessas do meu lado, eu trataria muito melhor. Para com os jogos, moço. Ela é uma menina, mas você pode tratar ela como mulher, já. Ela pode ser sua melhor amiga, mas não trata ela que nem um parceiro, porque ela merece mais. Porque ela dormiu ontem pensando em você e acordou me contando os sonhos por mensagem. Quando você some, ela fica apreensiva e quando você aparece, se ilumina.

Ela é linda, não é? Por dentro e por fora e isso você já entendeu. O bairro inteiro acha a menina linda, mas ninguém a conhece como você conheceu. Porque é amor. E quando as pessoas amam, elas ficam cada vez mais lindas.

Ela é linda e você também, quando pintado por ela. Eu nem te conheço, mas sei a sorte que tem. Aprende a lidar, jovem. Esquece o jogo todo e se entrega pra ela também.

Textos

Sonhe comigo

Para ler ouvindo: If I Fell 

Eu faço parte da grande parcela da população que sonha em ter casa, família e cachorro. Um lugar tranquilo para voltar depois de um dia puxado de trabalho. Uma recepção alegre me esperando no portão. Um abraço caloroso de bom dia, beijos de boa noite e uma viagem para a capital portenha no final do ano.

Gosto quando a gente conversa sobre isso e fica imaginando até um daqueles robozinhos-aspiradores-de-pó limpando a casa enquanto jogamos vídeo-game ou vemos filme. Minha cabeça e meu coração voam longe nesses diálogos.

Não é a primeira vez que tenho esses sonhos. Aliás, trago-os comigo desde que consigo me lembrar. É bagagem antiga, que hiberna em mim à espera da realização, ansiando o momento de ser aberta e liberar tudo o que guardou por tanto tempo.

Tudo que carrego nela é inédito – ao menos, para mim. São cargas preciosas. Únicas. Então, não posso perdê-las. Só quero liberá-las quando encontrar alguém disposta a regá-las comigo. Vê-las crescer e se multiplicar. Entende isso?

Por isso, te peço que sua disposição seja real e não só da boca pra fora. Não apenas feita por palavras bonitas a serem ditas para me fazer sorrir. Me faça feliz, de fato: Com atitudes, com ações, com gestos, com a vontade de estar ao meu lado, sonhando acordado comigo.

Leitor

A luta que é negar você

*Texto da leitora Tayná Freire

Todos os dias eu travo uma guerra contra mim mesma ao abrir os olhos e tentar negar você mais uma vez. Todos os dias eu tento mentir pra mim – em vão – de que não vou pensar em algo pra poder puxar assunto com você. Que eu não tô sentindo saudade – e necessidade – das nossas conversas durante a madrugada sobre o assunto que bem quisermos. Todos os dias eu tento negar que não é você. E que o que eu sinto, não vai além da carne – quanta ilusão!

Todos os dias, quando abro os olhos finjo que não te encontrei nos meus sonhos. Finjo que não quis acordar ao teu lado. Finjo que não desejei teus olhos e teu sorriso. Teus beijos. Tuas mãos. Tuas mordidas e tuas provocações. Finjo que não desejei que fosse você.

Todos os dias eu tento negar que não é você que eu vejo ao fechar meus olhos. Que não é você que procuro ao conhecer um outro alguém. Que não é a tua boca que eu procuro quando beijo um alguém – em mais uma tentativa de te deixar pra lá. Tento não tremer quando meu celular vibra e eu penso ser você – e que o mundo parece querer desabar quando eu vejo que não é. Que nunca é.

Aos finais de semana, bebo pra fingir que não tô querendo você. Bebo na tentativa de te deixar no fundo do copo. Na tentativa de te jogar fora junto com a cerveja que esquenta. Bebo na tentativa de esquecer você. Mas não esqueço nem das coisas que eu faço. Quem dirá esquecer você! Não tenho o dom da amnésia que vem com o etílico.

Cada segundo de negação é um desgaste diferente. Eu me canso. Eu fico exausta. Negar você é algo que exige esforço demais. Negar que não vai ser você, doloroso demais! Mas aceitar viver sem você – mesmo que seja com presenças faltosas e migalhas que transbordam – é o fim do mundo!

Close