Não sou muito fã de posts longos, mas não vejo escapatória para este. Em todo caso, vou tentar não fazer rodeios. Fui para Barcelona no final de semana, apesar do que me aconteceu sexta-feira aqui em Madrid (roubaram minha mochila… Nem eu, nem dois amigos que estavam comigo, vimos como aconteceu. Nela, estava minha câmera, celular e carteira. Tudo registrado na polícia já, cartões de crédito/débito cancelados e… bola pra frente, né?! Pelo menos ninguém chegou me abordando com uma arma, ou sei lá! Mais atenção de agora em diante).

Vamos por partes, então.

Qual é a melhor forma de ir para Barcelona?
Nós, brasileiros, temos o encanto pelos trens da Europa. Logo, foi esse o meio de transporte que escolhi para ir até a capital da Catalunha. A questão é que o trem de alta velocidade (AVE) estava muito caro. Chegaria lá em 2h 30min, mas estava muito acima do que eu poderia pagar. Então, fui pela linha normal mesmo, com 8h de duração e me arrependi profundamente. Existem três opções de assentos: Turista, Señora e Literas. Sem saber a diferença entre eles, escolhi turista. Logicamente, a pior de todas. A cabine tinha oito poltronas, uma de frente para outra. Entre elas, apenas uns 80 centímetros. E as pernas, onde ficam? Roçando nas do passageiro da frente. As poltronas deitam? Se inclinam uns 20º, mas só. E, para melhorar, tinha figuras típicas de viagens: O cara que ronca, o velho mala e o fedido – que, sim, sentou ao meu lado. Duras e longas 8 horas essas, tanto na ida quanto na volta.

Trem de longa distância que faz o trecho Madrid-Barcelona

Essas não são as únicas opções para fazer o trajeto Madrid-Barcelona.  O AVE é o mais caro. Em média, só a ida, na categoria Turista, está mais de 100 euros. Para pesquisar preços de trem, a companhia responsável tem um site oficial.

É possível, também, ir de ônibus. Seriam 8 horas de viagem (direto; o trem faz paradas) e as passagens são baratas. Em média, ida e volta saem por 55 euros (veja o site).

O mais comum são os voos. A Iberia, por exemplo, faz a ponte aérea, mas pode ficar meio caro. Outros dois sites bem conhecidos para compra de passagens aéreas aqui são o Easyjet e Ryanair. Além desses, me indicaram o eDreams e Vueling. Não fui de avião porque, como boa brasileira, deixei para ver na última hora e os preços subiram muito. Se for de avião, procure voos que pousem no Aeroporo Plat, na área central de Barcelona. O Aeroporto Girona fica a 90km de distância da cidade.

O que fazer em Barcelona?
Tem muita, muita coisa em Barcelona. Ela vai exigir mais de dois dias… Creio que, pelo menos, uns quatro. Eu, infelizmente, não tinha como ficar mais do que um final de semana. A saída, então, foi comprar um bilhete do Citytour para dois dias, que custa 31 euros (mais caro que o de Madrid).

Tem duas empresas que fazem o tour de ônibus: A Barcelona Bus TouristicBarcelona Citytour, que foi a que comprei. Ambas fazem os mesmos trechos, a diferença é que a primeira dividiu em 3 rotas e a outra, a que escolhi, em duas.

Rota Laranja: Plaça Catalunya – Catedral – Passeig de Colom – World Trade Center – Jardins de Miramar – Fundació Joan Miró – Anella Olímpica – Museu Nacional d’Arte de Catalunya – Poble Espanyol – CaixaForum – Plaça d’Espanya – Estació de Sants – Camp Nou (FC Barcelona) – Plaça Piu XII – L’illa Diagonal – Avinguda Diagonal – La Pedrera – Casa Batlló

Rota Verde: Plaça Catalunya – Catedral – Port Vell – Museu d’História de Catalunya – Barceloneta – Port Olímpic – Platja de Bogatell – Nova Mar Bella – Fòrum – Glòries e Torre Agbar – Sagrada Família – Hospital de Sant Pau – Park Güell – Tibidabo – La Pedrera – Casa Batlló

Você pode subir e descer em qualquer desses pontos. Vale bastante a pena para quem não tem tempo de conhecer tudo. O Citytour faz um resumo das atrações da cidade.

Vale a pena? Sim, bastante. Até porque, você ganha um monte de descontos em várias outras atrações, com validade de um ano.
Notas:
– O mais legal é ir no andar de cima do ônibus, sem dúvida. Portanto, capriche no protetor solar.
– Achei que as melhores vistas estavam do lado direito.
– Se você não gosta que seu namorado/marido olhe para outras mulheres, não o leve a praia. Topless é bem comum (essa nota é pra ser brincadeira, tá?! Apesar de que é verdade: as espanholas não tem vergonha em mostrar os peitos).

Tem mais?
E como tem! Além dos tours de ônibus, tem a pé, de bicicleta e de barcos. Sem contar que existe uma terceira opção de passeio de ônibus: o tour noturno. Começa as 22h e você passa por pontos como a Torre de Agbar que fica toda iluminada a noite.

Parece que Barcelona, mais do que em Madrid, a vida começa quando o sol se põe. Essa foi uma das principais diferenças que achei entre as duas cidades. Enquanto a capital espanhola nos encanta com sua beleza tradicional e disciplinada, a capital catalã é boêmia, artística… Bem verdade que achei Barcelona mais “marginalizada” (soou um pouco mais forte do que é, mas na falta de uma palavra melhor…).

E é isso, gente! Não vou mais escrever. Agora, fiquem com o vídeo – interrompido pela morte da bateria da câmera.


Comments

comments

Powered by Facebook Comments