Categoria

Listas

Entretenimento, Listas

3 músicas para se apaixonar por Anavitória

Esses dias, brincando no Spotify, encontrei um álbum de um dueto feminino coisa mais linda: Anavitória. Depois fui notar que as duas já estavam pipocando na minha Timeline também.

Violãozinho delicioso, letra gostosa, um par de vozes que fazem cócegas no coração. O conjunto todo é um som apaixonante. As meninas são de Tocantins e entraram há pouco tempo na casa dos 20 anos. Se você ainda não conhece, vou deixar aqui as minhas três canções favoritas, para você já pegar gosto pelo álbum recém lançado.

1. Singular

Essa música é uma serenata todinha, mas este trechinho:

“Eu te enlaço e não me permito soltar
Pro nosso nós não deixar de ser assim
Tão singular”

2. Chamego meu

Chamego meu” tem até direito a viola! Mistura aquela pegada da música “caipira” tradicional (não entendam pelo modo pejorativo da palavra, ok? Ok) com a meiguice do pop atual à lá Tiago Iorc.

3. Dengo

“Deixa eu lhe convencer
Que tu é o ser mais bonito
Que eu tive a sorte de conhecer”

EXTRA

Aí essas duas, que sabem que arrasam, resolvem fazer um arranjo em “Tocando em Frente“, de Almir Sater. O resultado não podia ser outro a não ser: “lindeza pura”.

E aí, gostaram? Qual é a música favorita de vocês?

Listas

3 lições de empoderamento feminino com as Princesas Disney

Eu devo ser a exceção, confesso. Mas apesar de amar as Princesas da Disney e ter sido criada assistindo repetidas vezes aos desenhos, eu nunca me vi como princesinha frágil e indefesa. Vi, em cada uma delas, um aprendizado diferente. As personagens, por incrível que pareça, me ensinaram sobre empoderamento feminino.

Claro que, na época, com meus 5 ou 6 anos, eu não sabia que era essa a lição que me passavam. Mas hoje é fácil ver que, apesar de venderem contos de fada, elas tem algo além para mostrar.
Continue lendo

Listas

6 coisas que aprendi com intercâmbio

Fiz um intercâmbio na minha vida. Pequeno. Curtinho. Um mês fora. Já contei sobre a minha ida a Espanha e não vou entrar em detalhes sobre a viagem para não ficar repetitivo. A gente sempre ouve que essas experiências mudam a gente e subestimamos essa informação. Na minha ida rápida a outro país já consegui ter uma idéia melhor do que esse aviso realmente quer dizer.

1. Você percebe que está perdido
E não apenas porque viu o mapa errado ou pegou um metrô na direção contrária. Perdido na vida mesmo. Você vai encontrar pessoas mais jovens que você que estão anos luz na sua frente e com mais experiências. Você vai conversar com pessoas mais velhas que fazem o que amam há 40 anos e você não consegue se imaginar fazendo a mesma coisa durante todo esse tempo – pelo menos o que você tem feito. “Não é isso que eu quero fazer por toda a minha vida”. Você vai encontrar uma cultura que não conhecia – ou conhecia de forma muito rasa – e se encaixar de uma forma perfeita e inesperada. Esse outro país vai fazer vai fazer você abrir os olhos e se encontrar em vários sentidos.

2. Você consegue se virar sozinho
Dá medo imaginar que você vai a um lugar desconhecido, quiçá com um idioma que você nem fala ou fala pouco, sem nenhum amigo ou parente ao seu lado. A cara e a coragem são suas companheiras. Os primeiros dias serão os piores. Você pode até ler em algum blog como são as coisas no seu destino, mas vivê-lo é outra coisa. Mas você aprende a se adequar. E o medo de estar sozinho vai passando conforme você vai pegando a manha. Seu corpo vai se acostumar com o fuso horário e você vai recuperar o sono perdido. Você vai conseguir andar pelas ruas sem ajuda de um mapa e vai usar o transporte público como se estivesse saindo da sua própria casa.

3. Você vai levar alguns amigos consigo
Muitas pessoas vão passar por você nesses dias. Colegas de curso. Colegas de residência. Estranhos da rua. Mas alguns, como sempre, serão especiais. No meu caso, é uma mexicana. Ainda nos falamos. Ela veio para Foz e já me convidou para ir visitá-la (ainda não deu). E, quando ela veio me ver, dois anos depois do nosso intercâmbio, foi como se nunca tivéssemos voltado aos nossos países de origem e o tempo tivesse passado tão rápido. E se a sensação é essa, a gente sabe que essas pessoas não vão embora das nossas vidas.

4. Perrengues viram história
Claro que a viagem não será 100%. Vai ter algum dia em que algo pode dar (muito) errado. Vai causar choro, angústia, o medo volta. Claro, há casos e casos – eu fui roubada. Fiquei sem cartão e dinheiro e ainda tinha 20 dias pela frente. Na hora, chorei, me desesperei, pensei em vender coisa na rua (juro!). Hoje, dá pra contar dando risada, mesclando a minha versão com a versão dos meus pais, que me socorreram (e salvaram) de longe.

5. Você não volta a mesma pessoa
Algo no intercâmbio vai te mudar drástica e permanentemente. Pode ser o estilo de vida na cidade que te acolheu, pode ser a cultura do país, podem ser as pessoas e pode ser tudo isso. O fato é que, quando você voltar para casa, ela não vai mais ser a mesma – e isso vai te causar desconforto. Você não vai mais encaixar tão bem, porque terá passado por uma transformação enorme. O retorno vai te exigir paciência para readaptação.

6. Você sempre terá um carinho muito grande pelo país que te acolheu
Até hoje, compartilho e leio notícias sobre a Espanha. Sofro de saudade aguda quando assisto a um filme que se passe na cidade espanhola. Você ganhará uma casa longe de casa. Em alguns casos, uma família também. Por isso não tem como ignorar o que se passa lá.

Listas

3 lições de um relacionamento à distância

Namorar já não é fácil. Quando é à distância, então… Eu também fazia parte da turma que dizia que “namoro à distância não é pra mim”. Mas a gente não pede por algo assim. A gente cai num relacionamento e, quando vê, um dos dois tem que ir embora. Para ter uma ideia melhor, assista “Amor à distância“, com Drew Barrymore e Justin Long. Ou, ainda, “Ponte Aérea“, com Caio Blat e Letícia Colin.

No meu caso, deu certo por cinco anos. É, tudo isso. E eu consegui aprender algumas coisas com essa história:

1.    É preciso saber viver
Já ficou a voz dos caras do Titãs martelando a sua cabeça, né? Ótimo, assim você grava essa lição. O que eu quero dizer é que, apesar de eu cá e ele acolá, a gente precisava viver normalmente. Isso quer dizer trabalhar, estudar e, sim, sair. Tem gente que condena, que diz que é ciumento demais para isso. Mas essas saídas com seus amigos podem salvar seu relacionamento – e suas amizades. A vida não pode parar na ausência do outro. Isso também é um exercício de confiança. Namoro algum resiste sem ela, muito menos os que estão longe.

2.    Datas especiais não são tão especiais assim
No começo, eu detestava o fato de nunca poder comemorar datas especiais ao lado dele. Aniversário, Dia dos Namorados, aniversário de namoro. Mas, depois de algum tempo, passei a ver que datas especiais eram aquelas em que ele vinha para cá. Essas outras, troquei e passei a chamar apenas de “datas comerciais”. Não deixe que elas sejam mais importantes que a presença e que a entrega de presentes seja o significado mais forte para vocês.

3.    Ciúme é normal; surtar, não.
Claro que, quando saímos com amigos, vai ter fotos. E, como é de se imaginar, você não vai conhecer os amigos dele ou dela, já que nunca conseguiram se apresentar pessoalmente. Nem todas as fotos vão te agradar – e nem precisa ser algo comprometedor. Vai doer um pouquinho, sim. Aquela curiosidade em saber quem é aquela/aquele. Mas é aí que você deve parar. Não vale a pena ficar apertando essa tecla, insistindo, imaginando se rolou algo ou não. Confiança, lembra?

EXTRA

4.    Não sufoque
Não é porque vocês estão à distância que vale ficar mandando mensagem a todo momento. Isso cansa. Fica chato. Sufoca. Conversem diariamente, sim, mas determinem um horário e, então, se falem. Se falem por horas. Tirem o atraso do dia. Mas, a menos que seja algo importante, whatsapp a cada cinco minutos. Você não faria isso se morassem na mesma cidade, faria? Desapega, mas não negligencie.

Confiança é a palavra chave. Confiança em quem está lá e no seu taco. Se isso estiver bem, o resto se ajeita.

Listas, Textos

Os melhores de 2015

Ano acabando, é hora da tradicional retrospectiva do Cereja no Ombro. Rever quais foram os melhores textos do ano. Então, vamos lá: Quais foram os destaques do blog em 2015..

Antes que eu te ame
Não era esse o combinado, mas o coração me pregou uma peça de mau gosto. A última coisa que eu queria era isso, porque eu sei que você não está na mesma página que eu – nem pretende estar.

Te baguncei
Eu queria te bagunçar, sim. Mas a bagunça que eu buscava envolvia só cabelos desgrenhados, roupas amassadas, lençóis pelo chão. Queria, talvez, uma bagunça no seu escritório, tipo aquelas cenas de filme, em que a mulher chega de surpresa, tira as coisas de cima da mesa para ela poder deitar. Era essa bagunça que eu queria e não a que eu causei.

Eu preciso dizer que te amo
Hoje eu acordei com coragem para dizer “eu te amo” e enfrentar o possível silêncio de retribuição. Hoje, resolvi aceitar que você não precisa falar o mesmo. Ninguém é obrigado a amar o outro. O que eu não posso mais é deixar isso engasgado e desbaratinar com assuntos aleatórios para ver se o caroço some da garganta.

Eu prefiro sorrir
Você que me dizia para eu sempre dizer o que penso. Para não esconder meus sentimentos, porque isso, um dia, iria me deixar louca. Então, seguindo o seu conselho, vou te dizer: Quando fiquei sabendo que não deu certo pra você, eu sorri.

Não era pra você ser tão grande
Eu achei a sua frequência. Já aprendi a te sintonizar e deixar nossas lembranças tocando sem intervalos comerciais ou ruídos. É você, em claro e bom som. Somos nós e nossas risadas. É a nossa música. São os nossos suspiros e gemidos. São meus tesouros.

Eu te amo porque…
Eu te amo porque sua risada me faz bem. Adoro te ouvir rir gostoso até perder o fôlego. Te ouvir gargalhar me faz sorrir.

Eu, bomba relógio
Eu não sou sua inimiga, moça. Não me odeie só pelo título que carrego – mas isso também não é um convite para me conhecer melhor. Só me deixe estar, assim como eu a deixo. Acredite, eu quero o mesmo que você: que ele seja feliz. E eu abri mão de estar ao lado dele visando esse objetivo.

Te descobri
Eu te descobri num olhar. Já tinha visto você várias vezes e passado horas na mesa do bar falando besteiras pela madrugada, mas eu ainda não havia realmente olhado você. E bastou um único olhar para eu realmente achar você em mim.

E se você voltar?
Não posso deixar minha cabeça muito solta, porque ela sempre acaba indo até você. Perambula pelas possibilidades, quiçá impossíveis, de um novo encontro nosso. De uma tentativa de reaproximação sua. E como eu reagiria caso você decidisse voltar.

Nada melhor do que não fazer nada com você
Tudo que eu faço tem mais graça quando você está. Dá mais cor e mais gosto. Acentua a experiência de viver. E isso também acontece quando fazemos nada juntos. Quando apenas deixamos os corpos sobre o sofá ou sobre a cama, sem distrações, a não ser as nossas conversas imaginando o futuro.

O seu favorito está na lista?

Instagram, Leca, Listas

Retrospectiva da Cerejeira

Terminei o ano passado pedindo que 2014 fosse cheio de amor. Consegui o que queria – com alguns extras já conhecidos: Choros, risos, lutas, superação, descobertas e muitas lapidações.

Claro, todo ano tem seus altos e baixos mas, nesse, os baixos foram mais fundos e, por isso, os altos, mais altos do que nunca.

Em 2014, ganhei uma das minhas maiores alegrias: minha sobrinha, Eliza. E vi minha afilhada, Lavignia, crescer e completar seu primeiro ano de vida.

Gravei minha primeira música em estúdio, toquei na Virada Cultural, e estou aprendendo a me soltar mais no palco (a ponto de os meninos chegarem e dizerem: “Leca, você arrasou!“).

 

Fiquei, por mais ou menos seis meses, ao lado do meu namorado na luta final contra a leucemia. Acompanhei a adaptação da nova medula após o transplante, a recuperação dele e tive que me virar para conseguir cuidar dele em um apartamento alugado na capital. Essa foi a parte em que mais cresci, com certeza.

Me chamem de menina mimada se quiserem, mas cuidar de casa – limpar apartamento, ter que cozinhar todos os dias, lavar roupa diariamente, ainda mais no nível que tinha que ser (ele não podia ter nenhum contato com bactérias, foi um momento bem crítico, então, não era “qualquer limpeza”), foi algo pelo qual eu ainda não havia passado.

Sabe, esse período tempestuoso me fez amadurecer. Fez eu perceber que a gente tem uma força que desconhece. Ela fica ali, num casulo, esperando a hora de sair e ser usada. Eu chorei muito nessa época. E fui colo para choro também. Em ambos os casos, de alegria e de angústia.

Em novembro, voltamos para casa, em Foz do Iguaçu. Em dezembro, recomeçamos a namorar (dessa vez, sem hospitais, máscaras e remédios). Agora, estamos mirando um 2015 cheio de vida, saúde e amor (que nunca nos faltou).

2014 foi o ano em que o Cereja cresceu e ganhou nova cara. E espero que o próximo ano seja de muitas novidades, textos, inspirações, leitores, e-mails.

Que a gente agradeça mais (a Deus e aos outros) e reclame menos. Que a gente ame mais e brigue menos. Que a gente seja melhor. Sempre.

Feliz Ano Novo.
 
Leca, Listas, Textos

Os favoritos da Cerejeira

Nem todo texto que eu escrevo, eu amo. E nem tudo que passo para palavras me marca, de fato. No começo da semana, divulguei quais foram os escritos mais lidos no decorrer do ano.

Hoje, vou contar quais eu mais gostei de ter feito.

1. Te carrego
Publicado em 7 de julho 

“Você ainda não sabe, mas… Bom, vou falar sem rodeio: Eu ainda te carrego na mochila. É, é, eu sei que deveria ter te devolvido por inteiro, mas não deu. Desculpa! Eu simplesmente não consegui abrir mão desses seus pequenos fragmentos.”

2. Volta logo
Publicado em 26 de agosto

“Sinto sua falta quando assisto Mad Man, porque sei que é um dos seus seriados favoritos. Sinto sua falta quando a mensagem do celular não é sua e mais ainda quando é. Sinto sua falta quando vejo aqueles programas de culinária gringos.”

3. Não se preocupe
Publicado em 21 de fevereiro

“Não se preocupe com os dramas dela, rapaz. Vai por mim, eles são passageiros e não representam quem ela é de verdade. Eles são apenas um meio de extravasar o excesso de sentimentos que pulsam naquele coração. Boa parte deles é por você.”

4. Quando eu te vejo
Publicado em 24 de setembro

“Quando eu te vejo, me dá vontade de sorrir. Com os lábios, olhos e alma. Um sorriso como se só houvesse eu e você no mundo e que me faz esquecer que ontem foi horrível.”

5. Ela é de Leão
Publicado em 22 de setembro

“Mas, quando ela ama… Se você conseguir chegar no ponto em que ela ama, cara, você é um homem de sorte. Elogie-a sempre. Diga o quanto está bonita e cheirosa – ela sabe retribuir bem, seja com palavras ou ações. Será sua melhor companhia. E vai te proteger de tudo que puder, com garras e dentes.”

6. Meus dias mais bonitos
Publicado em 7 de maio

“Ei, você já vai? Então, me dá mais um abraço inesquecível, um afago na bochecha e um beijo na testa. Faz as malas e brinca que eu não coube nela. Diz que você volta… Que vai ser mais rápido do que a gente imagina. Diz que volta e volta logo, porque meus dias mais bonitos estão indo com você.”

7. Sonic Youth e saia rodada
Publicado em 6 de outubro

“Quando você chegou – aliás, eu adoro toda vez que você chega – minha felicidade veio junto, de mãos dadas com a garota da saia rodada e camiseta do Sonic Youth. Fiquei te olhando, extasiado, sentindo meu coração gritar: “É ela! É ela!”.”

8. Entre sem bater
Publicado em 17 de junho

“Estilhaça em mil pedaços essa camada de saudade que se afixou no meu coração. Retoma o seu espaço no meu peito e não sai nunca mais. Deixa ele aquecido de novo. Você já descobriu o mundo, conheceu novos horizontes, mas faz de mim o seu destino final. Seu porto seguro. Seu lar. Meu colo é seu.”

9. Acostume-se
Publicado em 30 de junho


“Acostume-se que tenho preguiça de tirar a maquiagem a noite e que prefiro andar descalça pela casa. Acostume-se que falo com cachorros na rua e, se eu puder, vou fazer carinho neles. Acostume-se que sempre vou deixar um espaço para a sobremesa.”

 

10. Brincando com tinta

Publicado em 29 de julho


“Por exemplo, acho que você deve parar de esconder suas sardinhas com maquiagem. Elas te dão um ar de menina sapeca que me deixavam louco. Sem contar que servem como moldura para seus olhos verdes. Como se alguém tivesse brincado com tinta sobre o seu rosto e feito dele uma obra de arte.”

Leca, Listas, Textos

Retrospectiva do Cereja – Os mais lidos

Chegou dezembro, o mês de relembrar o melhor e pior do ano. Então, vamos começar listando os dez textos mais lidos por aqui.

 

1. Sem querer
Publicado em 8 de agosto.

“Vou dizer bem a verdade: eu já tinha aposentado a ideia de me apaixonar novamente. Até mesmo porque sempre parecia ser cedo demais. Não importa quanto tempo já havia passado desde a última vez. A dor causada fazia parecer tão recente… Por isso, eu abri mão dessa história de paixões e amores. Pelo menos por um (bom) tempo, não queria nada disso pra mim.”

2. Porque eu gosto de você
Publicado em 24 de fevereiro.



“Moço, tô aqui pra dizer que eu gosto de você.

E se eu tô assumindo isso é porque é coisa séria. Se eu tô correndo o risco de passar por ridícula, é porque meu gostar já é maior que meu medo – e eu sei como isso é coisa rara.”

 

3. Volta logo
Publicado em 26 de agosto.

“Sinto sua falta quando sento no sofá e não tenho sua mão para segurar. Ou nas tardes mais preguiçosas, quando minhas pernas não servem de travesseiro para sua cabeça. Sinto sua falta quando meu dia foi péssimo e quando tive o melhor dia de todos.”

 

4. Se é pra ser 
Publicado em 20 de junho.


“Não sei se esse trem é irreversível. Mas, pra falar bem a verdade, tô com uma vontade tamanha de me jogar nisso apesar de todos os efeitos colaterais que pode causar… Porque eu não sei nem se quero voltar a ser como antes. Então, se é pra ser assim, então que seja. Se é pra ser, que seja um daqueles amores inspiradores. Se é pra ser, que não seja em vão.”

5. Piscar de olhos
Publicado em 11 de julho

“Tudo bem que minha memória não é das melhores, mas desta vez eu falo sério: Não sei dizer mesmo quando foi. Em que dia da semana nem do mês… Sei lá se chovia ou se era um dia ensolarado. Aliás, nem sei se era dia ou noite!… A verdade é que não faço nem ideia de qual momento, qual decisivo momento, fez eu me apaixonar por você.”

 

6. Acostume-se
Publicado em 30 de junho

“Não estranhe as minhas manias, não. Aliás, acostume-se com elas para a minha estadia ser mais longa e confortável.

Acostume-se que tenho preguiça de tirar a maquiagem a noite e que prefiro andar descalça pela casa. Acostume-se que falo com cachorros na rua e, se eu puder, vou fazer carinho neles. Acostume-se que sempre vou deixar um espaço para a sobremesa.”

 

7. Um olhar sobre as coisas
Publicado em 15 de julho

“Eu gosto do conjunto All Star, calça jeans, camiseta e jaqueta de couro. Gosto do tempero que minha avó usa no molho do frango, de assistir TV com dois travesseiros e de delineador estilo gatinho.”

 

8. Meus dias mais bonitos
Publicado em 7 de maio

“Ei, você já vai? Então, me dá mais um abraço inesquecível, um afago na bochecha e um beijo na testa. Faz as malas e brinca que eu não coube nela. Diz que você volta… Que vai ser mais rápido do que a gente imagina. Diz que volta e volta logo, porque meus dias mais bonitos estão indo com você.”

 

9. Ela está
Publicado em 17 de julho

“Ela está a espera… Segurando as mãos, ansiosa, mordendo os lábios de preocupação. Será que a porta vai abrir, enfim? Será que o convite será feito? Dê a passagem e ela trará cor às tuas paredes brancas e música ao silêncio que te cerca. Deixa ela abrir as janelas e arejar o teu lar.”

 

10. Você também perdeu
Publicado em 31 de julho

 

“Depois da cara desinchar de tanto choro, tô me achando mais bonita. Até mudei o visual e aprendi a fazer umas maquiagens mais decentes para as ocasiões especiais. E achei ânimo para começar uma atividade física. Já percebi umas diferenças no corpo e tô curtindo o resultado. (Falando em palavras francas? Eu tô gostosa!)

ETC, Listas

15 Resoluções de Ano Novo para meus 20 e poucos anos

Texto novo da Cerejeira lá no Entre Todas as Coisas.

“Janeiro é época das promessas. Das juras que fazemos a nós mesmos das metas que pretendemos atingir no decorrer do ano.  As que listarei abaixo servem para todos, mas acho que quem vive nos 20 e poucos anos – a exemplo desta que vos fala – vai se identificar um pouco mais.

(…)

4. Dê chance aos “Rês” – Reaprenda. Repense. Refaça. Realize.”

Close