Último post sobre a viagem aos Estados Unidos antes dos vídeos começarem a ser publicados (para não perder, vem aqui e aqui).

No mapa, coloquei os nossos quatro destinos: Miami (1); Orlando (2); Tampa (3); Key West (4). As estrelas são para demarcar nossas duas paradas: Sarasota (1); e Isla Morada (2).

Para dirigir nos Estados Unidos, não é preciso fazer uma carteira de motorista especial. A nossa CNH é aceita, mas só como documentação para dirigir e não para identificação, como usamos aqui ao invés do RG. Para isso, use o passaporte.

Alugamos um carro na Avis e retiramos no aeroporto de Miami mesmo. Eles dão seguro, GPS e até a opção de devolver o veículo com o tanque vazio. Nosso primeiro trajeto foi de Miami a Orlando, na terça-feira, 3 de março. De lá, fomos para Tampa, no domingo, 8.

Miami – Orlando – Tampa

A viagem até Orlando é de média duração. De quatro a cinco horas de estrada – e que estrada! Sempre em mão dupla e, em alguns trechos, eram até seis pistas. Asfalto sem buracos e pedágio por apenas US$1,25. Está cada vez mais raro ter cabines para pagar o pedágio (toll). O nosso, alugado, já veio com o chamado Sun Pass, que é o nosso Sem Parar. Você passa e paga depois. Não precisa se preocupar com nada.

Nesse primeiro trecho, não tinha vistas muito interessantes. Fizemos duas paradas na beira da estrada e os pontos para isso eram muito bem estruturados. Grandes, com umas seis opções de restaurantes e uma loja de souveniers.

De Orlando a Tampa, é jogo rápido. Coisa de duas horas, no máximo. A estrada continua boa, mas as paradas são aqueles postos que você precisa pedir a chave do banheiro e é um para homens e mulheres. Isso porque essa estrada não é pedagiada, aí a qualidade cai um pouco nesse sentido. Mas, como é um trecho curto, dá pra aguentar.

Tampa – Miami
De Tampa até Miami é chão. São aproximadamente 8 horas de viagem. Para compensar o tempo na estrada, resolvemos passar pelo Golfo do México e as vistas eram lindas! Entre St. Petersburg e Terra Ceia tem uma ponte chamada Sunshine Skyway Bridge e tivemos que parar na estrada para tirar fotos. Para atravessá-la, é preciso pagar um pedágio de US$1.00 (Sun Pass).

Saindo da ponte a procura de um lugar bacana para tirar fotos
A ponte original foi inaugurada em 1954, mas desmoronou em 1980. Sete anos depois, a nova ponte estava pronta.

Pouco mais à frente, paramos em Sarasota e, meu Deus, que cidadezinha gostosa! Com cerca de 50 mil habitantes, Sarasota é um lugar que eu gostaria de ficar pelo menos um dia. Sabe aquelas cidades em que você se sente relaxado?  Super delicinha.

Demos um pulo na praia. Areia branca, fininha, água azul e gelada (afinal, ainda é inverno no hemisfério norte!).

O primeiro contato foi marcante. A vista era linda, mas a água, nesse trecho, estava com bastante algas.

Almoçamos lá mesmo, em um restaurante chamado Daiquiri Bar. Muito bom.

As paisagens na estrada começaram a mudar depois de Sarasota. Conforme fomos deixando o litoral, o mar foi trocado por pântanos, aí não tirei mais fotos.

Miami – Key West

Para encerrar a viagem, no penúltimo dia, esticamos até Key West, na ponta do estado da Flórida (e já no mar do caribe). Essa viagem foi cansativa, porque fizemos bate-volta. São quatro de viagem e fomos com o carro cheio dessa vez. Pegamos um carro maior e estávamos em seis adultos.

No caminho, paramos para almoçar em Isla Morada. Achamos, sem querer, um restaurante chamado Lorelei Restaurant & Cabana Bar. A comida era gostosa, mas o visual que tínhamos da mesa era… Uau!

Eles tinham caiaques e pranchas de Stand Up Paddle para alugar. Se tivéssemos tempo, eu me arriscaria no SUP. Mas ainda tinha um caminho longo pela frente e minhas aventuras de “surfista” foram adiadas.

Chegamos a Key West por volta das 15 horas. Cidade bonitinha – mas prefiro Sarasota. A água estava mais quente, mas mal tive coragem de molhar os pés porque tinha águas-vivas.

 

No fim das contas, a viagem valeu mais que o destino. Mas, como estávamos de férias, tudo estava bom, lindo e maravilhoso. Sem reclamações!

E, dois dias depois, voltamos ao Brasil. Cabô férias. Cabô EUA. Cabô Cereja no Mundo.

Agora, vou editar os vídeos! Semana que vem, começo a publicá-los na fanpage e no Youtube!

Comments

comments

Powered by Facebook Comments