*Enviado por Raquel Oliveira

Não sei explicar o que é saudade. Pra onde vai, que função tem. É o que sinto, mas sem vontade de expressar. Queria saber como é que você está, queria continuar ouvindo você me contar sobre o seu dia, sobre como está se sentindo, sobre seu cansaço e sobre seu cachorro.

Nunca pensei que saudade fosse assim. Nunca pensei sobre a força do sentimento que tenho por você, mas agora entendo que, de uma forma ou de outra, ele nunca vai morrer.

Posso trazer pessoas novas para minha cama, posso sair, olhar outros olhos e me encantar por eles… Mas toda vez que eu olhar nossa foto, vou me lembrar do seu olhar castanho, me encarando como se eu fosse a coisa mais misteriosa do mundo e como se você nunca fosse me desvendar.

O fato é que você, como ninguém jamais fez, me desvendou. Do avesso. Você viu tudo de mim. O lado bom, o ruim, o indiferente. Você me amou. Talvez tenha sido difícil pra você expressar, e mais difícil ainda pra eu entender…

Parando, pensando, raciocinando, não sei o motivo pelo qual você não está na minha vida hoje. Agora. Me ligando, me chamando de “minha querida”. Só me lembro de portas batendo, choro e uma tristeza profunda. Solidão.

Acho que agora você está mais feliz por estar sem mim. Por não me ver, não me tocar, não se entregar pra mim todas as vezes que eu te olhava com meus olhos que sentiam fome de você.

Espero do fundo do meu coração oco – farei de tudo para mantê-lo oco – que você encontre uma mulher pra te fazer feliz, não para te dar tanto desgosto e tanto trabalho como eu dei. Que encontre uma mulher que te arranque sorrisos leves e fáceis, que te dê abraços de nuvem.

Que você não a apunhale pelas costas, que você não cuspa sobre ela seus espinhos e dúvidas. Que você tenha duzentos por cento de certeza de que é ela quem você quer, que você olhe pros olhos dela e pense: “É ela!”, assim como eu pensava ao olhar pros seus olhos esverdeados contra o sol.

Meu coração oco e minha mente borbulhante te desejam apenas a felicidade plena. A felicidade que não conseguimos obter juntos. A doçura que você não cativou.

Comments

comments

Powered by Facebook Comments