Não quero nada de você. Não precisa se preocupar em me entregar flores ou me levar para jantar.  Não precisa me enviar músicas e dizer que lembrou de mim. Não precisa dizer que me achou linda. Não quero nem espero nada de você. Aliás… Quero, sim: o seu adeus.

Já que você não decide nunca se vai ou se fica, eu tomo a decisão por nós dois. Vá… Por que, de que adianta, serenatas a noite e sumiço no dia seguinte? Juras de amor a tarde e total silêncio pela manhã seguinte? Não, meu querido. Eu cansei do seu jogo.

A pior parte é que nessa sua de ir ou não, você bloqueia o caminho para eu sair ou para alguém que queira chegar. Então, dá meia volta e vai andando, tá? Porque você teve todas as chances de vir quando bem entendesse, mas optou por ficar pela metade. E eu quero alguém por inteiro.

Sua mão já me serviu de afago, de carinhos, de toques. Mas agora, eu só quero vê-la acenar. É, meu bem. Definitivamente, de você, eu só quero adeus. Não um “até logo” nem “até mais tarde”. Isso, eu já ouvi demais.

Um beijo, se cuida e espero que a gente não se veja por aí.

Comments

comments

Powered by Facebook Comments