Não sei se você sabe, mas somos companheiros de viagem diária. Geralmente, eu já estou acomodado nos assentos mais ao fundo quando você embarca. E é sempre um prazer vê-la subir a bordo. Eu te acho linda, moça. E sequer sei o seu nome e o que faz da vida.

Por favor, não me ache um louco por imaginar inúmeras situações em que me apresento e você sorri em retorno. Mas você já me encantou sem saber. Queria muito saber quais lugares você freqüenta para esbarrar com você e puxar assunto.

Ah, moça… Será que seu coração já tem habitante? Será que você pensa em alguém quando ouve suas músicas de olhos fechados? Maldita timidez que me faz ficar sentado aqui, só te olhando à distância.

Mas também… Se eu me aproximasse durante o trajeto, você poderia pensar mal de mim, já que tem tanto maluco por aí. Eu não sou como esses caras. Se eu tivesse a oportunidade real de chegar perto de você, seria para tentar ficar sempre ao seu lado.

Essa é a minha parada, moça. É a hora que, mentalmente, me despeço de você e te dou um beijo na bochecha – juro que é só isso! – como a despedida carinhosa de dois amigos. Ao me levantar, para a minha surpresa, você também começou a vir em direção a porta de saída. Perdi o fôlego.

Um cara grandão saiu apressado e quase te derrubou. Não acreditei quando me vi apoiando o seu braço para que não caísse. Apontei a porta, em sinal de que você poderia desembarcar primeiro.

Quando desci, você ainda estava ali, parada. Quase não acreditei que você ficara ali para falar comigo.

– Você foi muito gentil. Obrigada! – e me deu um sorriso mais lindo do que todas as versões que eu já imaginei.
– Não foi nada!
– Ei… A gente sempre pega esse ônibus, né? Acho que já te vi outros dias.
– Sim, esse é o meu diário.
– Ah, bom saber que um cavalheiro me acompanha. Obrigada de novo e tenha um bom dia,…

Era a deixa pra eu me apresentar.

– Felipe.
– Prazer, Felipe. – E, como eu sempre quis que fosse, você sorriu ao ouvir meu nome.  Meu nome é Bianca.
– O prazer é meu. Um bom dia pra você também. Até amanhã, então, né?
– Sim! Até.

Eu te vi ir para uma direção e eu peguei o meu caminho de sempre, na direção oposta. Mas hoje, moça, eu caminhei em nuvens e saí a assoviar melodias de um coração alegre.

Comments

comments

Powered by Facebook Comments