*Texto publicado originalmente em Entre Todas as Coisas

Sabe todas aquelas informações que você guardou daqueles manuais de “como agradar um homem”? Ou aquela lista de “itens indispensáveis para fazer sua mulher mais feliz”? Quero que pegue tudo isso e jogue fora. O mesmo vale para todas as dicas de beleza e corpo ideal que você anotou. Apague da memória.

Se tem uma coisa que eu aprendi nesses meus (quase) 26 anos é que não existe molde para o que quer que seja. A fórmula da famosa global pode funcionar para o corpo dela, porque tem um metabolismo X. Se o seu for Y (e provavelmente é), a receita já não vai funcionar. E quem vai se frustrar com isso, ela ou você?

Quem forma a gente – em todos os aspectos – é a vida e suas surpresas. Tenho amiga que jurava de pé junto que jamais teria filhos. Hoje, é uma mãezona de mão cheia. Conheço gente que namorou por quase dez anos e não casou e casais que foram ao altar com apenas um ano juntos.

Se eu vivesse pelas regras que leio por aí, teria feito de tudo para meu cabelo ser ondulado, natural e longo, porque essas são as características mais marcantes de uma mulher. Engraçado é que só fui me sentir realmente feminina quando aderi ao corte pixie (cabelo curto aos mais leigos).

O que eu quero dizer é: não viva pelos padrões dos outros. Viva quem você é, seguindo a sua “fórmula mágica” da felicidade exclusiva e intransferível. Pode dar errado? Pode. Tem 50% de chances de isso acontecer. Mas aí você tem que ter jogo de cintura para reinventar – “inventar” e não copiar. Percebe a diferença?

Saia por aí descobrir por você mesmo quem é. Esquece – mas esquece de verdade – o que já te disseram. Como de ser, o que deve tentar fazer, quando e onde deve ir. Vai lá pra fora nesse mundão e se faça feliz.

Comments

comments

Powered by Facebook Comments