Estou simplesmente quebrada. Não paro faz 4 dias… A pantorrilha treme e dói muito, mas não quero ficar parada quando há tanto para conhecer. Bom, como amanhã começa o curso, acho que os dias mais intensos se foram… Então, vamos às dicas de lugares onde estive:

Museu Del Prado

Gigantesco. Tenho certeza de que não consegui ver tudo e foram quase 2 horas caminhando, num ritmo meio acelerado, já que não sou tãããão amante das artes para parar e apreciá-las como merecem. A entrada no Museo Nacional del Prado custa só 12 euros. Além de quadros espanhóis de 1100 até 1910, tem exposições italianas (como a de Rafael, apesar de temporária – fica até setembro), alemã, flamenca, francesa e esculturas. Tem várias obras primas originais aqui, como “David vencedor de Goliath“, do Caravaggio, “Las Meninas“, do Velázquez e o perturbado “Saturno devorando a su hijo“, do Goya.

Vale a pena? Sim.

Notas: 
– Venha com tempo e, se me permite a dica, sem crianças. Convenhamos, elas não tem paciência pra isso e só vão te estressar pedindo pra ir embora;
– Não é permitido tirar foto ou filmar;
– Caso queira, a entrada + o guia completo sai  por 22 euros;
– Existe, ainda, o aluguel de “fones” para audioguias durante o trajeto.

Jardim Botânico

Estava nos meus planos, saiu e voltou. Quando saí no Museu, queria ir direto ao Parque do Retiro e pular o Real Jardín Botanico de Madrid, mas já que ele estava ali… Paguei 3 euros para entrar e assim… Não que não seja bonito, mas prefiro os que conheço no Brasil (Curitiba e Rio de Janeiro). Aqui é tudo bem conservado e limpo, sem dúvidas, mas os nossos são mais cheios de vida. Tinha horas que eu olhava ao redor e me sentia naquele filme “Rose Red”… Verdade seja dita: Não andei por tudo. Ele é bem grandinho, então, pode ser que tenha mais coisas e eu não vi.

Vale a pena? Sim, mas não vai pesar na sua consciência se você não for;

Parque del Retiro

Que lugar grande! Meu Deus, como eu andei – e me perdi – aqui! Essa, assim como o Museu del Prado, é uma atração mais que recomendada de Madrid. Dá pra passar o dia. Caminhar, andar de bicicleta, de barco, com o cachorro, de patins, fazer exercícios, tomar sol, além de ir nos atrativos dentro do próprio parque, como um museu de artes e o Palácio de Cristal (falei errado no vídeo que segue abaixo). Tem cafés muito bem localizados. Almocei em um que não dava vontade de sair…Ficava na sombra, uma delícia. Aqui, apesar no verão, a temperatura tem chegado até os 30º e venta bastante, o que pode dar, acredite, um pouco de frio. Ah, uma observação: Se nas Cataratas, temos os quatis sem-vergonhas, no Retiro são os pardais. Eu estava lá, de boa, e dois vinham, sem medo até minha mesa. Fora isso, tudo ótimo.

Vale a pena? Muito!

Notas:
– Sapatos mega confortáveis
– Protetor solar
– Use sapatos que sejam fáceis de lavar; o caminho é meio “arenoso”, não sei explicar… Em resumo: vai sujar.

Para terminar, tem videozinho do dia. Um pouco melhor que o primeiro, mas ainda assim, meia boca. Enfim, dá pro gasto.

Comments

comments

Powered by Facebook Comments