Retomando “O Instagram da Cerejeira” depois de uma semana sem por causa da viagem.

“I’ve been losing sleep
I’ve been keeping myself awake
I’ve been wandering streets
For days and days and days”

1. Tô bacana – Margot aproveitando a piscina. A criatura é tão, mas tão chegada numa foto que eu coloquei o óculos nela e a pose foi praticamente instantânea. Os braços na foto são meus. Quem fez o favor de fotografar a “tipa” foi a Mayara Godoy que veio me acompanhar numa tarde regada a tererê.

2. Agora eu paro de reclamar do calor – Média de 35º C em Foz do Iguaçu. Eca. Detesto (leia-se com ênfase, por favor) o verão daqui. Não tem vento, não tem ar condicionado que dê conta de aliviar um pouco a situação. Imagina o twitter dos iguaçuenses como não é… O meu (@leca_dpaula) não fugiu à regra:

“We found love in a sala com ar condicionado em modo “inverso russo”.”

“”Rio 40 graus” é fácil. Vem pra Foz no verão e tenta escrever algo feliz com isso.”

Terminado o trabalho, corri pra casa ser feliz. E aí parei com os tweets mal humorados. Rá!

3. Simples assim – Não sou muito fã de “instagramear” fotos que não tenham sido tiradas por mim, mas achei essa frase ótima e não resisti.



4. Aprecie. – Um pouco das fotos da viagem. Essa paisagem é de Tibagi, onde fomos visitar meu avô e “vódrasta”. A cidade, com seus poucos mais de 30 mil habitantes, tem crescido muito na parte de ecoturismo. Numa outra vez que estive lá, conheci o Canion Guartelá, uma belezura. O rio Tibagi também é muito usado para esportes como rafting e canoagem. Delícia de cidade, vale a pena dar uma esticada até lá para descansar e aproveitar uns dias pacatos.

5. Da série “Amo ser ucraniana” – Em Curitiba, a tradição é: Não saimos de lá sem comer pirogue. É uma das comidas tradicionais e “oh my God”, como eu amo! Tinha uma época que esse pastelzinho era vendido na Fartal e Fenartec, mas não sei porque raios o pessoal parou de vir. Descobri que tem uns muito bons em Medianeira, na panificadora Napoli, em frente à rodoviária. Recomendo!

6. A casa fantasma de Curitiba – Essa casa nos dava calafrios quando éramos pequenas. Eu, minha irmã e minhas primas passávamos com o cabelo em pé na frente dela por causa das histórias que meu avô contava. E tem como negar que ela tem um aspecto todo fantasmagórico?

Quer ver mais fotos da Cerejeira? Vem aqui!

Comments

comments

Powered by Facebook Comments