1. Soneca… – Confesso: Eu menti nesta publicação no Insta! Essa foto estava há um tempo no computador. Eu baixei e postei pelo insta, porque é muito amor (de cão) numa foto só. Margot dormindo folgada na cama e, como ela é gordinha, dá uma bela almofada.

2. Metida demais para olhar para a câmera… – Nem só de Meg e Margot vive meu instagram. Conheçam a Jolie, a poodle mais esnobe que eu já vi. Na verdade, com pessoas ela é super querida, mas é toda nojentinha com outros animais. Bem do tipo “Não me toque!”. Ela era da minha vó, foi criada por um ano como “filha única” e com a educação de “piá de prédio”, aí já viu, né… Mesmo depois de sete anos morando conosco, continua se achando melhor que as outras aqui de casa.

3. Sem pc há dois dias… – Minha semana se resumiu à assistir televisão. Por causa da sinusite atacada, a dor de cabeça não me permitia ficar na frente do computador. Rendeu… Assisti Gigantes de Aço (recomendo), Meia Noite em Paris (esquisitinho, mas ok. Vale pra passar o tempo), Os Três Mosqueteiros (minha opinião sobre esse filme rendeu um post), Os Vingadores e Capitão América. Sem contar programas de beleza e decoração no Discovery Home & Health!

4.Vou ficar mal acostumada nesse ritmo… Adorei! – Estou preparando um post sobre uma papelaria aqui de Foz (vocês vão ver na próxima semana). Fui lá tirar fotos, conhecer (mais a fundo) o que eles vendem – porque nos meus tempos de colégio e faculdade, eu sempre comprava lá com eles. E vi muita coisa, principalmente material técnico. Não vou me aprofundar muito porque senão estraga o post, mas vai ficar bem bacana. Aí, num segundo dia que eu fui lá, me apareceram com esse presentinho! Nhoooim! Fiquei toda feliz. Já até usei a blusinha. Amei! De verdade verdadeira!

5. My rock’n’roll purse – Sim, eu tenho uma bolsa em formato de guitarra. E eu a-m-o. Ganhei de presente de aniversário há uns quatros anos, eu acho… E nunca vi outra bolsa igual. Rá! É só minhaaaa!

6. Beijinho de mamãe.  Desde pequenas, eu e minha irmã ganhamos marquinha de beijo da senhora nossa mãe. Se ela saía para ir trabalhar e nós não víamos, a marquinha era uma forma de sabermos que ela não saiu sem dar tchau… E a tradição ficou e agora é retribuída. Tem coisa mais gostosa que beijinho de mãe?

Comments

comments

Powered by Facebook Comments