Ele

Quando você saiu por aquela porta, levou meu mundo com você. Fiquei esperando você mudar de ideia e voltar com aquela sua cara de arrependida, mas isso não aconteceu. Fiquei olhando, em vão, para aquela maçaneta. Ela não mexia, nem eu. Estava estarrecido, sem chão, sem rumo, sem foco. Não consegui chorar ou ter alguma reação. Só parei. No tempo, no espaço, no quarto. Não consegui me mexer para sair correndo atrás de você, te trazer de volta para o meu lado, onde é o seu lugar. Fiquei imaginando você atravessar a rua, chorando – eu sempre te achei tão linda quando chora. Parece que seus olhos ficam mais verdes. Eu sei que você odeia quando eu falo isso, mas faz alguma diferença agora? Você não está mais aqui. E será que um dia volta? Volta. Diz que sim. Porque eu não sei nem por onde começar uma vida sem você. Ainda tem o seu cheiro de castanhas pós-banho. Volta antes que ele se dissipe. Antes que eu esqueça dele, porque eu não quero que isso aconteça. Volta… Antes que eu siga adiante.

Ela

Quando eu saí por aquela porta, deixei meu mundo com você. Pensei em mudar de ideia e retornar correndo e ser recebido com seu sorriso bobo, mas decidi esperar para ver se você vinha. Fiquei alguns segundos no corredor esperando a maçaneta se mexer, mas foi em vão. Chorei de dor e já de saudade. Saí sem rumo. Quando cheguei no ponto de ônibus, um estranho disse que meus olhos estavam vermelhos. Lembrei que, nessas situações, você me dizia que eles ficavam mais verdes. Eu adorava quando você falava isso porque me arrancava um riso, ainda que relutante, e a gente já se abraçava em seguida. Olhei para trás, para dar mais uma conferida e ver se você vinha, mas nem sinal de você. Vem. Diz que vem. Porque eu não sei por onde começar uma vida sem você. Ainda tenho o seu perfume Ralph Lauren no meu casaco. Vem antes que ele desgarre de mim. Antes que eu esqueça dele. Vem… Antes que eu siga adiante.

Comments

comments

Powered by Facebook Comments