Trago em mim amores diversos.

Amores semelhantes. Amores complementares. Amores distintos. Amores reciclados. Amores que curam e amores machucados. Amores recolhidos. Amores calados e amores platônicos.

Trago amores de diferentes funções.

Amor de filha. Amor de namorada. Amor de amiga. Amor de tia. Amor de madrinha. Amor de sobrinha e de neta. Amor de romântica e amor de escritora. Amor de jornalista. Amor de musicista. Amor de poeta.

Amor é um e é vários, que se funde sem confundir.

Os amores não concorrem uns com os outros. Não disputam o mesmo
espaço e nem se limitam ao coração. Os amores escorrem aos pés quando
estou a caminho de me encontrar com ele. Se estendem às mãos quando a
seguro no colo. Se vidram nos olhos quando os admiro. Se fixa à alma
quando canto.

Amor não se guarda em estoque, mas
passa adiante. Amor não surge para ser retido e armazenado. Amor é para transmitir ao próximo. Aos diferentes destinatários.

O amor não cabe… Transborda.

Comments

comments

Powered by Facebook Comments