Sobre

Quem é a autora do Blog?

Sou a Leca Lichacovski, Jornalista. Blogueira. Vocalista da Banda Gonzales. Sarcasticamente engraçadinha. Talvez você vá com a minha cara, talvez não.

Saiba mais

Escolhidos só pra você

Explore essas categorias

promo image

Leitor

Texto dos leitores
promo image

Listas

Coisas boas listadas
promo image

ETC

Entre Todas as Coisas
promo image

Cultura

O que acontece
promo image

Leca

Minhas coisas
Textos

8 dicas para viagens internacionais

Estou me preparando para as tão sonhadas férias. Não sei vocês, mas eu prefiro viajar em baixa temporada. Menos gente, menos muvuca e preços mais baixos. É bem mais favorável.

Falta um mês para viajar e, portanto, comecei a pesquisar sobre meu destino (vou manter segredo ainda, mas vai rolar posts “Cereja no Mundo“). Pensando nisso, resolvi deixar umas dicas sobre o que você precisa saber sobre viagens internacionais. Algo que possa te ajudar.

Antes de mais nada, quero dizer que viajar para fora do país não é questão ser rico, mas de ser organizado. Esse artigo explica bem sobre essa diferença e como manter a meta em aberto e depois dobrar a meta o foco.

Eu e meus pais temos esse costume há anos. Antes de ir para a Espanha, economizei durante um ano (“manter o foco”). Ano passado, antes de irmos aos Estados Unidos, compramos os dólares com bastante antecedência e conseguimos aproveitar a cotação ainda em R$2,70 (sdds).

Programação.

Se você está pensando em fazer uma viagem internacional, tenho mais algumas dicas que podem te ajudar. Pega o caderninho e anota aí:

1) Documentação e vacinas
Não estou falando apenas de Visto, caso seja necessário. Alguns países pedem uma documentação extremamente rigorosa, para se assegurarem de que você não vai ficar por lá ilegalmente. Dados bancários, passagens de volta, endereço de onde vai ficar. Tudo isso pode ser pedido na Imigração. Para entrar na Espanha, eu tive que provar até que tinha alma, praticamente.

Ainda que você vá para um país onde o Visto não seja necessário, certique-se de que não haverá escalas em países como Estados Unidos. Se esse for o caso, você vai precisar de Visto Americano.

Veja também sobre a obrigatoriedade de vacinas, como a de febre amarela. A Anvisa tem uma relação de todos os países que exigem vacinação em dia. 

2) Datas e Eventos
Que tal estudar se haverá algum evento grande ou alguma data comemorativa no seu país de destino antes de ir? Eu já fui pega de surpresa e, olha… Não foi legal. Sem saber, fui passear por Paris no dia em que estava rolando a Le Tour de France (famosa prova ciclística no país). Resultado: Champs Élysées LOTADA de gente e foi um parto conseguir chegar ao Arco do Triunfo (momento da peregrinação aos 5:00).


Se eu soubesse, teria ido outro dia.

3) Clima
Não estou dizendo que você deve ficar de olho da previsão do tempo para os próximos cinco dias. Estou falando de como é o clima no período em que você vai para o local. Exemplo 1: Nova York é frio em dezembro e janeiro. Mas é no começo do ano que geralmente acontecem as nevascas pesadas e perigosas. Exemplo 2: Bariloche também é frio. Mas se você quer esquiar, deve ir de junho a outubro para a cidade argentina, pois nos outros meses não tem neve.

4) Custos
Você deve saber quanto vai gastar, em média, por dia. Leve dinheiro mas também faça um Visa Travel Money (VTM), cartão de débito internacional. Você pode sacar dinheiro em qualquer caixa eletrônico. Para saber a média dos custos no destino escolhido, você pode acessar o site: Quanto custa viajar e saber, mais ou menos, quanto vai precisar por dia. Quando fui a Madrid, a média diária (alimentação + transporte) era de 35 euros. Compras não são inclusas nessa média.

Aqui, você também pode estudar qual é o melhor meio de transporte. Taxi? Metro? Ônibus? Alugar carro? Tem muitos blogs de viagem que podem te ajudar com essas infos específicas.

5) Voltagens e tomadas
A gente esquece desse detalhe, mas nos arrependemos amargamente quando notamos que nossas tomadas de padrão brasileiro não encaixam em lugar algum (Valeu, PT!). O fato é: você VAI precisar de adaptadores. Mas qual tipo? O site eletricaloutlet.org tem todos os padrões de tomada. Algo que ajuda muito é ter um adaptador universal, nem que seja de reserva.

 

Tomadas-e-voltagem-pelo-mundo-roda-mundo

6) Cultura local
Não estou falando da cultura folclórica, mas a do cotidiano. Gestos, alimentação, expressões, disciplina. Aqui em Foz, não temos muito o costume de respeitar a regra da escada rolante (se quer ficar paradinho, mantenha-se à direita. Se quer subir com pressa, use a “faixa” da esquerda). Resultado? Fui xingada, porque, em Madrid, eles são extremamente disciplinados.

Brasileiro também não tem muito o cuidado na hora de comer. Pede demais e não aguenta. Desperdiça. Fiz isso em Paris e levei bronca do garçom. Fui desrespeitosa com um país que passou por dificuldades e fome na época das guerras. Eles levam isso muito a sério.

Se você atravessar uma rua na Alemanha fora da faixa de pedestres ou quando o sinal estiver fechado, você pode receber uma multa… Coisas do gênero. Entenda e saiba como é o dia-a-dia no país. Vamos evitar os bolas-foras!

offensive-hand-gestures-from-around-the-world-u2
7) Seu destino tem City Tour? Faça.
Ainda que esse não seja o seu “tipo de passeio”, já que City Tours tem uma linha mais histórica, pense da seguinte forma: Você vai passar pela maioria (se não todos) dos pontos turísticos da cidade. Já vai te economizar o dinheiro do transporte – ainda mais se você puder comprar um ingresso para dois dias de passeio. Em segundo lugar, City Tours te fazem ter uma excelente noção geográfica (distâncias dos atrativos). E, se você tem poucos dias, é a melhor forma de conhecer os principais lugares da cidade.

389020_373393689393045_678896493_n

8) Não se deixe levar pelos esteriótipos
Você não gosta quando um gringo pede para você sambar ao descobrir que você é brasileiro. Logo, não cometa a mesma gafe. Americanos não são tão arrogantes quanto você pensa. Franceses não são estressados. Espanhóis não são xenofóbicos. Argentinos não são metidos. Esqueça esses pré-conceitos e não os leve na mala. Vai te ajudar (e muito) em sua experiência.

Boa viagem para a gente!

ETC

Estou com saudades de você

*Texto publicado originalmente no Entre Todas as Coisas

Eu não quero você de volta. Eu tô bem. De verdade que sim… E, acredite, até desejo que você também esteja. Leva um tempo pra gente conseguir admitir isso. Dor no ego é algo que leva tempo a cicatrizar. Perdoar também. Mas, quando acontecem, é libertador.

Com minha liberdade recém adquirida, meu orgulho também diminuiu. Agora, eu posso chegar para você e dizer, sem nenhuma segunda intenção, que estou com saudades. Mas antes que isso pegue mal, deixa eu me explicar.

É verdade que ficamos pouco tempo juntos, mas foi tempo suficiente para você se tornar meu melhor amigo e conselheiro. Com quem eu podia falar por horas, fosse sobre um episódio de Os Simpsons ou sobre a filosofia de Platão aplicada na sociedade atual. Fosse sobre minhas aflições ou sobre os seus traumas do passado.

Acho um desperdício amizades construídas em relacionamentos também serem perdidas quando o relacionamento termina. E, ainda que ex-casais continuem amigos, fica uma estranheza e nem tudo pode ser tema de conversa. Não dá mais pra ser amigo pra todas as horas.

Eu só queria poder ser sua amiga de novo. Podemos não ter sido bons em romance, mas como éramos ótimos em sermos parceiros. E é disso que eu sinto falta – mas se sair espalhando isso por aí, serei incompreendida.

Queria que soubesse que ainda tenho um carinho muito grande por você e acho uma pena não poder demonstrá-lo por não ser considerado “propício”. Mas fica o meu manifesto. Se um dia você puder aceitar meu convite para tomar uma cerveja e jogar conversa fora, ficarei feliz.

Se não der, bom… Eu brindarei à nossa amizade de outrora, com novos amigos ao meu redor, mas lembrando das nossas piadas. Pedirei sua marca favorita sem contar a ninguém. Será mais um segredo nosso. Talvez o último. Talvez a saideira, com a diferença que, dessa vez, eu que vou me levar para casa.

 

Textos

My Valentines

Ontem, 14 de fevereiro, foi Valentine’s Day (dia de São Valentim. Nossos vizinhos Paraguai e Argentina também comemoram a data). Acho um dia bonito, mesmo afirmando que dia dos namorados, bem como dia das mães e dos pais, são todos os dias.

Mas o meu Valentine’s Day desse ano foi comemorado de forma muito especial para mim. Não passei final de semana em hotel chique, não ganhei café na cama nem presente. Não teve jantar romântico. Meu dia foi melhor do que isso.

Quando eu e meu noivo começamos a namorar, ele trazia uma bagagem que eu jamais carregara: uma filha. Eu sequer tinha sobrinha na época. Aquilo era absurdamente novo e um pouco assustador para mim.

Mas nunca tivemos problemas. E eu logo me adaptei aos finais de semana a três. Hoje, eu percebo o quanto aquelas duas pessoas preenchem o meu coração. Quando preciso me arrumar e deixo os dois na sala, as crises de riso deles me elevam.

Vocês já assistiram “Monstros S.A“? Então, vão lembrar da seguinte cena: Quando o Sully descobre que o riso de uma criança é muito mais potente que o medo delas. Isso que acontece comigo. O medo que eu tinha do desafio não é nada perto do poder que aquelas risadas causam em mim.

Então, ontem, me dei conta que era dia de Valentim. E eu estava com os dois, assistindo As Aventuras de Pi e comendo pipoca. Não falei nada, só olhei para o lado e agradeci a Deus por ter tornado minhas datas comemorativas em algo ainda mais especial.

– Curiosidades sobre São Valentim:

Existem várias histórias sobre São Valentim. Em todas elas, ele foi um padre que acabou sendo preso. Os motivos variam, mas em uma das versões, ele foi capturado por desobedecer a ordem de não realizar mais casamentos. Enquanto estava encarcerado, recebia muitas cartas de casais apaixonados.

Durante seus dias na prisão, ele passou a receber visitas de uma moça cega, por quem se apaixonou. Pouco antes de ser decapitado, ele mandou uma carta à amada, assinando como “Seu Valentim” – daí a expressão “seja meu Valentim” (Be my valentine).

Diferente do que acontece no Brasil, o Dia de São Valentim é comemorado com todas as pessoas que amamos e não apenas uma data para casais. Aqui, celebramos o dia dos namorados em junho por ser véspera do dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro.

Textos

Aqui chove, amor

O dia lá fora estava lindo. Aquele sol ardente reinava sozinho num céu de brigadeiro. Céu de pipas e auroras boreais. Céu de amantes. Céu de por do sol espetacular e de cores jamais vistas.

A tormenta está aqui dentro. E chove, amor. Faz temporal, que vem causando estragos. O vento forte sopra você para todos os lados. Levanta rios de sentimentos e forma enchentes que transbordam pelos olhos.

A nuvem da tempestade está na minha mente. As lembraças são os raios e trovões que assustam com o barulho. Os relâmpagos são nossos bons momentos. Brilham rapidamente e desaparecem na nimbus escura.

Não para de cair água, amor. E não tenho teto para onde correr. Preciso esperar o coração parar de escorrer. Quem sabe quando os pingos ficarem mais finos, eu consiga dançar na chuva e lavar a alma. Quem sabe eu descubra que, logo, aqui dentro, o sol vai ficar tão bonito quanto o que está lá fora.

Quem sabe um dia. Mas, hoje, só chove.

Textos

Você é linda

Eu vou parecer repetitivo, eu sei. Mas parando agora para pensar, apesar de já ter dito incontáveis vezes que você é linda, acho que nunca te descrevi aos meus olhos. Isso é tarefa quase impossível, mas eu resolvi tentar mesmo assim.

Você é linda sem você perceber. Quando está distraída, com a cabeça longe, seu rosto fica leve e eu fico só te apreciando. Se, num momento de criação, você morde a caneta, ah… Aí você me mata.

Você é linda quando sorri. Seus olhos fecham e a boca abre num formato perfeito de alegria. Mas eu também te acho linda quando chora. Seus olhos ganham uma dimensão que parecem guardar uma galáxia de cores e brilhos.

Você é linda quando tenta fazer “carão” para a foto, mas eu te acho deslumbrante quando se rende às caretas e à verdadeira você. Brincalhona, descontraída, sem medo de ficar feia (não que você fique, tá?).

Você é linda quando solta o cabelo. Preste atenção: este momento é um dos poucos que eu queria poder ver em câmera lenta. Você é linda de cabelo preso ou solto. Mas quando o solta… Meu coração vem pra boca e eu quero te beijar inteira, aonde quer que a gente esteja.

Você é linda quando me abraça e diz coisas ao meu ouvido, sejam românticas ou mais “adultas”. Você é linda quando está confiante, mas também te acho linda quando fica frágil. É nesse momento que, mais do que nunca, eu tento fazer você perceber que você é muito mais do que imagina.

Você é linda não só pelo que você aparenta ser por fora. Você é linda por ser incrível, por suas atitudes, por seu caráter. Você é linda por ser quem é. E eu só tenho a te agradecer por me permitir vivenciar essa sua beleza dia após dia, num espetáculo diário dividido em vários atos de amor.

Textos

Quando eu te encontrar

Eu sei que você está em algum lugar por aí. Talvez seja loiro. Talvez tenha traços orientais. Talvez tenha cabelo cacheado. Não sei (e não me importa, na verdade). Eu só sei que, quando eu te encontrar, meu coração vai bater alto.

Se você chegar e eu não perceber, por favor, insista. Eu sou tão desligada às vezes que posso demorar para ver que é você. E eu espero que você não sofra do mesmo mal, senão, teremos um problema sério de desencontro.

Não vou mentir e dizer que estou quieta te esperando. Não estou. Estou me divertindo e muito, principalmente com caras errados. Mas o meu sonho é compartilhar de bons momentos com a pessoa certa. E é aí que você – e só você – fará toda a diferença.

Quando eu te encontrar, não quero que você pare de caminhar. Quero ir com você, em busca de algo que a gente decida no caminho. Vamos procurar a felicidade. Um destino frio. Uma montanha. Uma piscina natural. Um casal de velhinhos com 20 netos. Não sei. A gente transforma a jornada no jogo que a gente quiser.

Ah, vem sem pressa, tá? Não quero antecipar, nem atrasar nada. Acredito que tudo tem seu tempo, inclusive a sua chegada na minha vida. Mas se vier cedo demais, posso não estar pronta. E se demorar, posso ter te confundido com outra pessoa.

Quando eu te encontrar, vou me alargar em sorrisos, me espremer em beijos e me guardar em abraços. Mas não vou ficar tentando adivinhar que horas você chega. Eu sei que vou te encontrar no tempo que for preciso. E até lá, eu sigo vivendo.

Textos

Eu quero acreditar

Eu quero acreditar que você diz a verdade. Que, ao olhar nos meus olhos e diz que será diferente, você está sendo sincero. E vai se esforçar para não cometer os mesmos erros. E eu quero acreditar que suas tentativas serão de bom grado e de coração.

Eu quero acreditar que seu arrependimento é real. Que suas palavras não são apenas da boca pra fora e que suas lágrimas não são resultado de suas aulas de teatro. Eu quero acreditar que podemos voltar a ser como éramos antes.

Você lembra? Será que isso te impulsionou a querer outra chance? Eu me recordo bem de como era bom. De como a gente se engrenava em qualquer situação antes das suas mentiras e desculpas.

Dizem que relacionamentos terminam por culpa dos dois envolvidos. Mas não serei hipócrita. Você me enganou porque quis. E, talvez, caiba a mim a responsabilidade de ter acreditado tão cegamente em você. Mas a gente confia na pessoa que amamos… Se não, qual é o sentido de estar com alguém?

E aí eu me pergunto: Vale a pena um relacionamento ser retomado apenas com meia confiança? Porque eu não tenho como estipular em quanto tempo poderei fechar os olhos por você novamente. E, nesse período, como seria estarmos juntos?

Eu quero acreditar que você vai acertar tudo. Que vai mudar, vai deixar a parte mesquinha e ardilosa e se entregar a mim e a nos com sua parte mais limpa. Eu quero acreditar, amor. Mas seus olhos não conseguem me transmitir mais a mesma sensação de segurança.

Eu quero acreditar que você não é um monstro.
O problema é que eu já sei que você é.

ETC

Não tenho mais medo

*Texto publicado originalmente em Entre Todas as Coisas

Eu não tenho mais medo, amor. Agora, eu digo, grito e berro que eu te amo. E que se danem os vizinhos se acharem ruim a minha serenata. Tô nem aí. Porque eu to feliz e confiante em declarar que esse amor me faz bem.

É que nem todos fizeram isso. Amor mal direcionado vira ferida desatada. E dói lembrar as vezes que disse “eu te amo” para o alvo errado. É como se as palavras ricocheteassem e voltassem para mim em brasa.

Mas dessa vez é diferente. Eu já te amava baixinho, sem saber se você também o fazia em segredo (quer dizer, eu sabia que você me amava em retorno também, mesmo em silêncio). Resolvi guardar para mim as palavras e deixar que o corpo fizesse o trabalho dessa vez. Quem sabe assim você perceberia o quanto eu te quero bem.

Eu dizia que te amava em cada abraço de chegada e em cada beijo de despedida. Em cada dedo entrelaçado nos seus cabelos. Em cada carinho na bochecha ou nas costas. Em cada olhar demorado e em cada crise de riso. Em cada conversa de final de dia e em cada desabafo.

Não sei por que eu tinha essa fobia em verbalizar o que já estava na cara (e em todo o resto de mim). Talvez porque você poderia não ter interpretado bem aquele meu sorriso… Vai que você não é tão bom na leitura de entrelinhas?

Mas já fazia uns dias que não tava mais dando pra segurar isso na garganta. Parece loucura, mas chegava a doer de verdade. Fisicamente. E aí, eu o deixei sair. Inseguro. Trêmulo. Sussurrado. Sem saber o que esperar em retorno.

Para o fim de todos os meus temores, você sorriu e disse um “eu também”. Parece que as palavras vieram em câmera lenta. Seu tom de voz foi suave. Tenho certeza de que vou guardar esse momento para sempre. Principalmente se eu voltar a ter medo.

Textos

Só eu sei

Não adianta me apontarem direções. “Vá por aqui”; “Este é o caminho que você deve seguir”; “”. Tantas frases, conselhos não pedidos, invasivos. Mas a verdade é que só eu sei do meu trajeto. E, apesar de acharem que sim, eu não devo satisfações, explicações ou justificativas.

É perigoso deixarmos outros definirem nossa vida e gostos. Somos nós quem damos nossos passos. Podem até saber dos fatos, mas nunca sabem da nossa verdade – aquela que guardamos para nós mesmos ou contamos ao travesseiro antes de dormir. E, se soubessem, muito provavelmente não entenderiam.

Não vai faltar gente querendo ditar a lista de “faça isso, não faça aquilo” na nossa vida. É diferente de aconselhar, ajudar, trazer uma luz para quando estamos confusos. Tem gente que vai surgir com o propósito de fazer o seu sonho parecer patético. E, para essas pessoas, você vira as costas, tapa os ouvidos e sai cantando conforme o planejado.

O difícil é distinguir quem são essas pessoas. Críticas vão surgir sempre. Basta você peneirar as que são construtivas e as que foram ditas apenas para depreciar. Porque, nem sempre, apoiar significa falar apenas o que a pessoa quer ouvir, mas o que ela precisa ouvir. E isso vai doer. Mas não deixe se desanimar.

Só eu sei o que eu quero pra minha vida. O que eu busco. O meu objetivo. O que eu conto ou deixo aparecer é apenas uma parcial. O meu foco real fica entre mim e meu pés, que me levam na direção que eu quero ir.

Textos

Eu sonhava…

Toda vez que fecho os olhos ao lembrar de você, nunca sei qual sentimento vai me atingir. Se vou me alegrar, se sentirei saudades, se vou ficar com raiva ou se vou querer chorar de novo. Quando se trata de lembranças de nós dois, é sempre uma roleta russa.

Queria que as boas memórias tivessem a mesma força das ruins. Tão bom lembrar aquela vez que, de longe, ao me olhar da piscina, você me piscou em segredo. O rubor nas minhas bochechas foi instantâneo e tive que baixar o rosto para esconder o riso frouxo que surgiu. Nem sei se isso significou algo para você. Mas, para mim, foi de tamanha importância que virou lembrança. Uma das minhas favoritas.

Antes de me fazer mal, você me fez bem. E é para essa parte que eu tento dar importância e valor. Nesse trecho da nossa história, você ainda não era tão real para os meus sonhos. Ainda se encaixava nos meus floreios.

Mas quando os enfeites do meu vislumbre foram saindo, você foi aparecendo mais. O seu verdadeiro. Não que fosse ruim, mas estava longe de ser quem eu pensei. Falha minha. Minhas expectativas, meu erro.

Acho que é por isso que nunca sei o que sentir. É um misto de decepção com curiosidade. Mistura alegria, paixão e dor. Como se tivessem batido os sentimentos num liquidificador e eu não sei o que dizer.

Isso me faz entender Cazuza. Aí eu saio a cantarolar (para mim mesma) por aí: “Você sonhava acordada, um jeito de não sentir dor, prendia o choro e aguava o bom do amor”. É, eu sonhava. Alto. Sem medo. Mas você… Você só era. E isso me fez acordar.

Close