Que viagem delícia! Primeiro, porque estava acompanhada. Chega de viajar sozinha, né?! Foram comigo para Valência minhas colegas de classe Lina e Lorena, da Colômbia, e minha vizinha aqui na residência, Yaz, do México.

Posso dizer que, com toda certeza, a cidade me surpreendeu e muito. Aliás, a todas nós. Foi tudo ponto positivo, não tenho nenhuma ressalva. Desde o Hostel até os passeios escolhidos, foi tudo ótimo. E é o que vou contar pra vocês agora!

Fomos de ônibus. Não quero mais saber de trens. Foram 4 horas de viagem. Saimos de Madrid as 8h (eu e Yaz) para chegarmos as 12h em Valência. A viagem é linda. Passamos por uns campos de girassóis enormes e, durante a parada, tiramos fotos.

Quando chegamos, pegamos um taxi da rodoviária até o hostel. O Rooms Deluxe fica a duas quadras da Cidade das Artes e das Ciências e, quando passamos em frente a ela, não tivemos como não soltar um “Noooooosssaaa”.

É gigantesca. Não pensei que fosse tão grande. Linda eu já imaginava pelas fotos que vi, mas a dimensão daquele lugar, eu não podia saber.

Cidade das Artes e das Ciências

Os arcos à esquerda são o Umbracle; no centro, o Hemisfèric; ao fundo, o Palau de Les Arts Reina Sofía



Já vale a ida a Valência. Você passa o dia no lugar. Nós ficamos, sem exagero, das 15h às 00h, com uma pequena pausa para comer no centro comercial em frente. 

O complexo é formado por seis prédios: 
1. Palau de Les Arts Reina Sofía (fechado ao público)
2. Hemisféric (cinema Imax 3D – o melhor da cidade)
3. Umbracle (uma balada)
4. Museu de las Ciencias Príncipe Felipe
5. Ágora (não sei o que é…)
6. Oceanogràfic (o maior aquário da Europa)

Decidimos visitar o Museu e o Oceanogràfic. Pagamos 27,05 euros para entrar nos dois. O Museu, por mais que fosse interativo e interessante, não nos segurou por muito tempo. Tirar fotos do lado de fora estava mais legal.

Já o Oceanogràfic nos deixou bem felizes. Aquários enormes, onde peixes, tubarões, arraias e tantos outros passam sobre nossas cabeças nos túneis que existem por lá. Impressionante. Sem contar que ficamos todas “nhooooim” com o show dos golfinhos (tem no vídeo que vou postar mais tarde). Durante o verão, tem apresentações de nado sincronizado a noite com os bichinhos, mas não fomos…

Apresentação com golfinhos; 30min para relaxar

Quisemos esperar até a noite para ver a Cidade iluminada. E, novamente, fica linda. Não tenho foto porque minha câmera morreu, mas assim que a Lorena me passar a que tirei com a dela, eu posto. Primeiro dia foi ponto na escolha do passeio.

Citytour

Plaza de La Reina


Para o segundo dia, o plano foi fazer citytour. O ponto inicial é a Plaza de la Reina, super lindinha e cheia de cafés, restaurantes e cervejarias. A minha recomendação é a sobremesa: Tome um sorvete de chocolate da Chocolateria Valor. Oh… .my…. God!

Mas, vamos às rotas do passeio!

A primeira rota nos mostra uma Valência com suas memórias medievais, como as Torres de Qatar e de Serrano, com marcas do que parecem ser de bolas de canhão. Pagamos 15 euros para um dia inteiro. Ainda tínhamos opções de tours a pé e de bicileta.

A segunda rota do Citytour nos leva à Valência Marítima. Passamos em frente do porto, do circuito de Fórmula 1 e das praias, onde descemos. A escolhida foi Las Arenas, linda e cheia de gente.

A água do mar mediterrâneo era quente. Não cheguei a entrar, porque precisávamos almoçar e voltar ao Hostel, já que Lina e Lorena iam embora naquela tarde.

Então, para “encerrar” o dia como quarteto, fomos a um restaurante em frente do mar chamado Gabbana. Super estiloso, com atendimento bacana e, imagino, que a noite, deva funcionar como um lounge bar. Claro que comemos a tradicional e famosa Paella Valenciana.

Servidos?

Outro restaurante muito gostoso no qual fomos foi um bem ao lado do Hostel, a Taberna Española La Zarzamora, onde também comemos paella no dia anterior e fomos igualmente bem atendidas.

Pra resumir:

Valeu a pena? Sim! E um final de semana foi suficiente.
Notas
– As melhores paellas estão nos restaurantes à beira mar  a que comemos no Zarzamora estava deliciosa, mas não era de frutos do mar).
– Tem um história de que o Santo Graal está em Valência e existe uma espécie de “Caça ao Tesouro” na cidade. Você pode percorrer e encontrar o cálice que, há quem diga, é o verdadeiro. Não fizemos essa busca, mas eu li num blog (Velvet Escape) de que ela existe.
– Valência é muito muito quente. Leve roupas muito frescas, mas, caso vá de ônibus ou trem, leve casaco, porque o ar condicionado é ligado no modo polar.
– Aqui é comum tomarmos água da torneira. Em Valência, não é aconselhável, pois a água tem muito cálcio.

Comments

comments

Powered by Facebook Comments